Hospital da Luz Funchal disponível para colaborar com o SESARAM

29 Mar 2020 / 13:24 H.

O Hospital da Luz Funchal emitiu um comunicado onde diz-se “preparado para colaborar com o Serviço Regional da Saúde da Madeira (SESARAM), pondo à disposição das autoridades de saúde regionais a sua capacidade para atender doentes não COVID-19, nomeadamente na realização de cirurgias urgentes e cirurgias electivas e de exames de diagnóstico por imagem”.

O Grupo Luz Saúde assume ter feito um forte investimento em obras de remodelação da sua unidade no Funchal, desde que adquiriu a Clinica de Santa Cataria, apostando na renovação das áreas de internamento, bloco operatório, sala de esterilização, consultórios e imagiologia, além dos espaços para clientes.

“O Hospital da Luz Funchal está hoje totalmente requalificado, respeitando os mais elevados padrões de qualidade, que caracterizam as restantes Unidades do Grupo Luz Saúde”, salienta.

No contexto da pandemia da covid-19, o Hospital da Luz Funchal procedeu a uma reestruturação da sua actividade e reorganizou as suas diferentes áreas, para estar preparado para responder às necessidades da população da Região, em particular dos seus doentes e profissionais, adoptando práticas essenciais à protecção de todos os que aqui trabalham e de quem continua a necessitar de cuidados de saúde. O mesmo aconteceu no Hospital da Luz Clínica do Caniço (HLCC).

Assim, e seguindo as orientações adoptadas em todo o Grupo Luz Saúde, da Direcção Geral da Saúde e do IASaúde, “foram implementadas medidas de segurança, como o condicionamento da actividade electiva não urgente (consultas, exames e cirurgias não prioritárias), não deixando, contudo, de assegurar que os doentes seguidos na Rede Hospital da Luz mantêm a resposta de que precisam ao nível dos seus tratamentos, vigilância das suas doenças crónicas, diagnósticos urgentes para doenças graves, entre outros”.

Medidas de prevenção:

Cumprimento escrupuloso das medidas de higiene e protecção recomendadas;

Controlo de entradas no edifício através da triagem, quer no HLF como no HLCC;

“Controlo sanitário” por enfermeiro à entrada;

Redução do horário de atendimento das duas unidades:

HLF- das 8h às 18h, de Segunda a Sábado;

HLCC – das 9h às 18h, de Segunda a Sexta;

Identificação de uma “Sala de Contingência” para o caso de algum dos clientes em consulta externa ou exame configurar “caso-suspeito”;

Nesse caso será o médico que iniciou a consulta/acto a contactar a SRS 24;

Evitar a concentração de pessoas em salas de espera pedindo aos prestadores de serviços e clientes o cumprimento escrupuloso dos horários;

Impedir as visitas aos doentes internados, excepto no caso de internamentos pediátricos;

Solicitar que sempre que possível o cliente não traga acompanhante;

A necessária observação/intervenção médica ficará a cargo de médicos do AMP.