Grupo Horários do Funchal suspende venda de bilhetes a bordo

Em vigor está o bilhete pré-comprado ou o passe mensal

31 Mar 2020 / 19:04 H.

No seguimento das medidas implementadas pelo Governo Regional da Madeira com vista à contenção do contágio do COVID-19, o Grupo Horários do Funchal (Horários do Funchal S.A. e C.C. São Gonçalo S.A) acaba de suspender a venda de bilhetes de bordo, para reduzir o contacto entre o passageiro e o motorista.

Contudo, face a situações reportadas, nas quais se verificou, por parte de alguns passageiros, a tentativa de utilização do Transporte Público sem título de transporte válido (bilhete pré-comprado ou passe), a Administração do Grupo HF informa que a utilização dos transportes públicos deve ser feita “mediante validação obrigatória de bilhete pré-comprado ou passe mensal, devendo o mesmo ser validado nos equipamentos que se encontram à entrada dos autocarros”.

No caso específico da C.C. São Gonçalo, a empresa criou um bilhete pré-comprado, que poderá ser adquirido nos postos de venda do Pinga, Anadia e Teleférico, durante o horário de funcionamento.

A aquisição deste bilhete pré-comprado obedece aos critérios de zonamento e tem a validade de um mês, após data da compra, pelo que deverá ser mostrado ao motorista e depositado à entrada do autocarro, no compartimento por ele indicado.

Esta medida entra em vigor na madrugada de 6 de Abril, próxima segunda-feira, às 05 horas, pelo que a aquisição de bilhetes pré-comprados poderá ser efectuada a partir de amanhã, 1 de abril, até sexta-feira, sendo que no sábado poderá ser adquirido no posto de venda e atendimento do Pinga entre as 9h e as 13 horas.

Desta forma, os utilizadores do transporte público em autocarro do Grupo Horários do Funchal podem continuar a adquirir os passes mensais ou os bilhetes pré-comprados, de forma a efectuarem as suas deslocações.

“Recordamos que o transporte público deverá ser utilizado apenas em situações estritamente necessárias e apelamos ao respeito pelas normas de utilização destes tipo de transporte, por parte dos passageiros”, refere o departamento comercial do Grupo HF.