Escolas da Região treinam cenários de risco

23 Jan 2019 / 17:52 H.

No âmbito dos projectos escolares de segurança contra os vários riscos naturais, assim como das medidas de autoprotecção contra incêndio, foram simuladas durante esta semana diferentes situações de risco e treinados os comportamentos mais adequados a cada uma dessas situações.

Nas escolas da Região Autónoma da Madeira é já prática corrente a realização de exercícios de evacuação, onde se simula a existência de um perigo no interior do edifício (por exemplo, um incêndio), que tem como consequência a evacuação de toda a população escolar para um local seguro no exterior – o ponto de encontro.

Porém, terça-feira (22 de Janeiro), na EB1/PE/C Eng. Luís Santos Costa (Machico), foi exercitada uma situação de abrigo, em que se treinou o procedimento oposto, isto é, simulou-se um perigo no exterior do edifício (por exemplo, uma explosão ou uma tempestade súbita).

Neste exercício foi criado um cenário onde o risco seria relacionado com o comportamento violento de uma pessoa nas imediações da escola. Após o alarme de abrigo, a escola desencadeou todos os procedimentos pré-definidos para esta situação, com a entrada rápida e organizada no edifício dos alunos, docentes e não docentes para um local interior previamente definido, com o objectivo de se protegerem do risco externo.

Noutra intervenção, quarta feira (23 de janeiro), no edifício do Curral das Freiras, da EB/PE de Santo António e Curral das Freiras, os técnicos da Secretaria Regional de Educação, Serviço Regional de Protecção Civil e Associação Insular de Geografia realizaram uma acção de sensibilização para docentes e não docentes relativa a situações de riscos naturais, um exercício de evacuação simulando uma situação de incêndio e jogos com regras de segurança para os alunos do 1.º ciclo.

Na EB23 Dr. Eduardo Brazão de Castro, decorre a semana de prevenção ‘Galeão + Resiliente’, com actividades tais como visitas de estudo, acções de sensibilização, simulacros de incêndio, entre outras.

Com esta iniciativa, o docente com o cargo de Delegado de Segurança e o Núcleo de Protecção Civil Jovem existente na escola pretendem chamar a atenção para a importância das diversas temáticas da segurança, assim como envolver toda a comunidade educativa nas actividades propostas.

Estas actividades e treinos são essenciais para a difusão de uma cultura de segurança sustentada, sendo as escolas um veículo essencial nessa divulgação.