‘Empresas com proximidade’ permite conhecer a realidade local e incentivar ao investimento

18 Jan 2019 / 19:03 H.

O vice-presidente do Governo Regional esteve esta tarde em Santana, no âmbito da iniciativa ‘Empresas com Proximidade’, para conhecer a realidade local e incentivar os empresários a investir e ajudar a reduzir a taxa de desemprego regional.

Na visita feita ao Hotel ‘O Colmo, em Santana, Pedro Calado salientou que esta é a melhor forma de ouvir os empresários e os trabalhadores, contactar com a realidade local de cada sector de actividade e ouvir algumas preocupações, ajudando em simultâneo a preparar o programa de governo, quer na área da economia, quer na área das finanças.

Segundo Pedro Calado, a ideia passa por “sentir os benefícios do investimento que os empresários têm com os apoios comunitários, como é o caso deste que aqui visitamos” que teve um investimento de 650 mil euros totalmente canalizado para a recuperação e beneficiação desta infraestrutura hoteleira. “Aproveitaram a nova tecnologia para equipamentos solares e acabaram por transferir esse apoio para outra empresa madeirense que instalou o equipamento e fez as obras”, explicou o governante, salientando o “efeito reprodutivo que beneficiou todo um sector de actividade e toda uma economia”. Além disso, foram criados oito novos postos de trabalho, um número significativo para um concelho como o de Santana.

Os apoios comunitários permitiram a esta unidade hoteleira atingir um crescimento de quase 60% desde 2017, traduzindo-se em benefícios que, no entender do vice-presidente, é o caminho a seguir.

Sobre a redução da carga fiscal para as empresas, Pedro Calado relembra que a taxa de IRC na Madeira na ordem dos 13%, é a mais baixa do país, comparativamente com a praticada no Continente (17%) e nos Açores (13,6%).

“Dá-nos algum prazer apoiar as empresas e fazer com que paguem menos impostos, aproveitando a redução da carga fiscal para fazer novos investimentos e ajudar a reduzir a taxa de desemprego regional” salientou Pedro Calado, esperando ter condições para, no próximo ano, reduzir ainda mais a carga fiscal.