“Desejo de mudança só por si” levou às eleições de Trump e de Bolsonaro

21 Jan 2019 / 12:20 H.

Paulino Ascenção, em reacção ao resultado da sondagem do DIÁRIO, que coloca em primeiro lugar o desejo de mudança, entre os factores que vão determinar o voto nas eleições regionais, começa por recordar que, por vezes, as pessoas não revelam as verdadeiras razões que as levam a votar nesta ou naquela força política. “Muitas vezes, votam por questões emocionais, que não revelam.”

O líder regional do BE também alerta para o facto de quem diz que o seu voto só é determinado pelo desejo de mudança, olhando pouco às ideias, ao que é proposto, está em linha com eleições, em outros países, como as que levaram ao poder Trump, nos Estados Unidos, ou Bolsonaro, no Brasil. Mas, nesses casos, é necessário constatar que as pessoas votam em algo, que, depois, não corresponde à realidade.

Por outro lado, a manifestação do desejo de mudança não aponta necessariamente a uma opção sobre um ou outro candidato ou força política. Paulino Ascenção considera que, na Madeira, o desejo de mudança não tem necessariamente de se concretizar numa bipolarização do voto e, consequentemente, na exclusão do BE. Aliás, afirma, o seu partido até propõe maiores mudanças do que os demais. Se esse for um critério, o BE até pode ser beneficiado.