Desabafo de campeão madeirense de Jet Ski sobre aviação dá que falar

Henrique Rosa Gomes publicou no Facebook um desabafo sobre a forma como os madeirenses são tratados pelas companhias aéreas.

06 Nov 2018 / 11:36 H.

Depois de ter sido um dos passageiros afectados pela inoperacionalidade do aeroporto Internacional da Madeira, devido aos ventos fortes, que se fizeram sentir durante quase todo o dia de ontem, em santa Cruz, impedindo a aterragem de vários voos, o campeão madeirense de jet ski, henrique Rosa Gomes, publica hoje um texto no mural do seu Facebook sobre a forma como as companhias aéreas tratam os madeirenses que reproduzimos na íntegra.

“Era o que mais faltava submeter-me a estas companhias aéreas. Chega de sermos tratados abaixo de cão. Já não basta a Transavia só me dar voo Quinta-Feira depois de voltar para trás ontem. Já não bastava não haver lugares hoje de manhã de voos da Easy Jet e TAP do Porto para a Madeira. Já não bastava ter que fazer três horas para Lisboa durante a noite para apanhar um voo da Easy Jet marcado poucas horas antes. Ainda apanho um anormal de um Cubano (sim, cubano, é a palavra adequada para este anormal) a me querer fazer pagar 60€ por uma mochila que eu tinha a mais, num voo que veio com mais de 15 lugares vazios.

Perguntei ao ‘Sr Importante’ se não bastava o madeirense pagar 200, 300, 400, 500, 600, 700(euros). Conclusão, 4 casacos vestidos, 10 camisolas dentro dos casacos, calças ao pescoço, mochila dentro da mala de cabine.

Depois perguntei se era necessário pagar por dois lugares, visto que estava um pouco obeso.

Tristes, de cabeça baixa, lá o supervisor e o Cubano tiveram que me deixar entrar. Ainda obrigaram uma senhora a meter a sua bolsa pequena que levava no ombro dentro da mala de mão. Inacreditável.

Viajei mais de oito vezes na Ryanair nos últimos 2 meses, nunca paguei mais de 80€ por trajeto, e tive sempre direito a uma mochila e a uma mala de mão. Aqui pagamos imensidões e só podemos levar a roupa interior.

A falta de bom senso e a arrogância com que tratam o madeirense é impressionante, mas desta vez, o madeirense gritou. Chega desta vergonha, chega”.