Comissão de inquérito aos inertes adiada por indisponibilidade dos deputados do PS-M

20 Fev 2020 / 14:48 H.

A ‘Comissão de Inquérito à Actuação do Governo Regional relacionada com a extracção de inertes nas ribeiras e na Orla Costeira da Madeira’ deveria arrancar amanhã, sexta-feira, com a audição de três entidades ligadas ao Governo Regional, mas acaba de ser adiada para depois do Carnaval, em data a determinar.

A informação foi confirmada pelo DIÁRIO junto de Adolfo Brazão, presidente daquela Comissão de Inquérito. O jurista e deputado social-democrata explicou que recebeu, no início da tarde desta quinta-feira, um pedido do grupo parlamentar do PS-M a requerer o reagendamento desta primeira sessão da Comissão de inquérito, alegando indisponibilidade dos deputados de estarem presentes na reunião.

Tendo a Comissão de Inquérito sido requerida pelos socialistas, Adolfo Brazão entendeu dever deferir o pedido de adiamento da sessão, decisão que será entretanto comunicada aos membros da comissão parlamentar, às três entidades públicas que seriam inquiridas amanhã e também à comunicação social. A data fica, para já, em aberto.

Recorde-se que a secretária regional do Ambiente e alterações Climáticas, Susana Prada, o ex-secretário regional dos Equipamentos e Infra-estruturas, Amílcar Gonçalves, e a ex-directora regional do Ordenamento do Território, Paula Menezes, seriam ouvidos no parlamento madeirense amanhã, dia 21 de Fevereiro, pela ‘Comissão de Inquérito à Actuação do Governo Regional no que se relacionada com a extracção de inertes nas ribeiras e na Orla Costeira da Madeira’, que foi requerida pelo PS-M.