Ciclo de conferências sobre os 600 anos chega ao fim depois de dois dias de debate no Porto Santo

Varias personalidades ligadas ao mundo da história, como professores, historiadores e especialistas na área das descobertas, estiveram no Porto Santo

03 Nov 2018 / 17:59 H.

Terminou hoje no Porto Santo, a conferência ‘Da Madeira ao Mundo – 600 anos Globalização’, organizada pela Comissão dos 600 anos e que trouxe à ilha dourada conferencistas de renome, como D. Duarte Pio, Rui Carita, Teresa Nascimento e Helena Rebelo, entre outros, para debater a Madeira e o Porto Santo, ilhas que foram e continuam a ser importantes para o mundo.

Guilherme Silva, preside da Comissão, fez um balanço “positivo” desta iniciativa e salientou a importância de trazer os melhores oradores para, em conjunto, “reflectirmos sobre as várias vertentes sobre o que foram realmente os descobrimentos e toda a elevação feita em várias áreas, como o contacto com as varias culturas, de forma a compreendermos o crescimento de todo este universo, pelas varias intervenções feitas nesta conferencia”.

Por outro lado, destacou a importância deste evento ter sido feito no Porto Santo. “Há uma tendência macrocéfala nestas coisas, são sempre as capitais do país ou de uma região que centralizam estes debates científicos ou mesmo de outra ordem, mas entendo que devíamos começar na ilha dourada”.

O ex-deputado á assembleia da república disse ao DIARO estar muito “satisfeito” com a afluência de pessoas, congregando alunos e professores da escola local, bem como residentes do Porto Santo, que se quiseram associar ao evento.