CDU lamenta que oito anos depois do 20 de Fevereiro, ainda haja muito por fazer

20 Fev 2018 / 15:08 H.

Oito anos depois do dia em que a Madeira foi fustigada pelo mau tempo, através de condições atmosféricas extremas, a 20 de Fevereiro de 2010, a CDU constata que ainda há obras urgentes que deveriam ter sido realizadas há muito tempo e relembra que tem sido, desde o primeiro momento, a força que mais meios e verbas exigiu para a reconstrução das localidades afectadas pela catástrofe que se abateu sobre a Madeira.

Os comunistas estiveram hoje no sítio da Achada, no Curral das Freiras, para alertar os governantes das obras prioritárias que nunca foram feitas.

A freguesia do Curral das Freiras foi uma das localidades onde houve a inestimável perda de vidas humanas, com avultados prejuízos materiais e o consequente agravamento de algumas situações que já eram de risco. Os comunistas lamentam que muito ainda esteja por fazer nesta freguesia no que toca ao processo de reconstrução e reabilitação local, dando o exemplo deste aglomerado populacional no Sítio da Achada que, apesar de algumas intervenções de cosmética, continua muito exposta se a pluviosidade for muito intensa.

Dizem os comunistas que “os milhões de euros esbanjados na baía e nas fozes das ribeiras no centro do Funchal, estão a fazer falta onde mais se justificavam, e precisamente aqui, no Sítio da Achada, a população desespera por uma intervenção”.

Para a CDU, importa que se concretize o esforço de reconstrução nas localidades verdadeiramente atingidas, sendo obrigação que a República, o Governo Regional e as Câmaras Municipais garantam todos os meios necessários para restabelecer a normalidade e garantir o bem-estar e a qualidade de vida das populações afectadas.

“A CDU continuará a envidar todos os esforços para que estas situações, passados oito anos, não sejam esquecidas, exigindo da parte das entidades competentes a sua urgente resolução”.