Caciquismo e compra de votos vão determinar resultados

21 Jan 2019 / 11:47 H.

A anunciada cabeça-de-lista da candidatura que o PTP vai protagonizar, nas eleições regionais, considera que o caciquismo, as medidas eleitoralistas e a compra de votos é que vão determinar os resultados eleitorais, mais do que a simples vontade de mudança, que existe e é reconhecida.

Raquel Coelho não ignora que terá impacto a existência de “um candidato novo, fresco, com carisma”, não vinculado a 40 anos de governação do PSD, de “descalabro das contas públicas” e da criação de uma dívida de seis mil milhões de euros.

Apesar desse impacto, a prazo, será sempre a nomenclatura partidária a determinar muitos dos votos, como até agora tem acontecido e como a deputada do PTP antecipa que venha a acontecer novamente. Raquel Coelho observa, por parte do Governo Regional e da CMF, a aposta na distribuição de empregos, de bens alimentares, de habitação e no assistencialismo e na subsidiodependência. Factores que vão influenciar muito o voto.

A pequenas candidaturas, como a que se propõe protagonizar, só podem lutar contra esse poder instituindo, “denunciando e apostando na parte séria, com programa e com ideias”.

Há dois tipos de pessoas que votam em candidaturas como a sua: as muito esclarecidas e as revoltadas com a situação actual.

As declarações de Raquel Coelho são de reacção à sondagem do DIÁRIO, que revela que 35% dos eleitores põem a vontade de mudança como o principal factor que vai determinar em quem votar nas eleições regionais.

Outras Notícias