Albuquerque vai ao Porto Santo entregar material aos Bombeiros e reabrir a piscina municipal

19 Out 2018 / 15:11 H.

O Presidente do Governo Regional, Miguel Albuquerque, desloca-se este sábado, dia 20 de Outubro, à ilha do Porto Santo, onde procederá pelas 12 horas, à entrega material aos Bombeiros Voluntários locais. A cerimónia de entrega de material, que terá lugar no Quartel dos Bombeiros Voluntários do Porto Santo, contempla equipamento para a salvaguarda da vida dos operacionais, designadamente máscaras de evacuação e ‘fire shelters’, consubstanciando a preocupação do Governo Regional nesta matéria.

Os dois equipamentos adquiridos ao abrigo do POSEUR são de última tecnologia, tratando-se, no caso das máscaras de evacuação, de uma novidade, não só na Região Autónoma da Madeira, mas também a nível nacional.

Mais tarde, Miguel Albuquerque marcará presença na reabertura da piscina municipal que se encontrava encerrada desde Novembro de 2011. A infraestrutura reabre ao público amanhã às 17 horas, após a conclusão da empreitada de ‘Reconversão Energética’ orçada em cerca de 223 mil euros, implicando a instalação de duas bombas de calor e a substituição da iluminação, diminuindo, desta forma, substancialmente a factura energética.

Máscara de Evacuação

A Máscara de Respiração para Fuga de Incêndios Florestais é um dispositivo de oxigénio químico concebido, como a designação indica, para a fuga de incêndios florestais, garantindo a protecção respiratória adaptada a este tipo de missão.

Compacta e leve (800 gramas), usada no cinto, é um conjunto de vácuo activado por rasgão. Trata-se de meia-máscara com fixação rápida e concebida para uma fácil adaptação ao capacete de incêndio florestal.

É, na verdade, um equipamento de fuga especialmente concebido para o cenário de combate a incêndios florestais, contra os riscos inerentes. Aquando da sua abertura, gera oxigénio suficiente para garantir uma vida útil mínima de 6 minutos (de acordo com as condições: ritmo respiratório, nível de esforço, etc.).

É, por outras palavras, um meio de sobrevivência desenhado para proteger o utilizador, quando rodeado de chamas ou quando é necessária uma fuga, assegurando protecção respiratória contra os perigos dos incêndios florestais, designadamente toxicidade do fumo, queimadura das vias respiratórias, presença de monóxido de carbono, anoxia, etc.

Aparelho de utilização única – não necessita de manutenção – tem um período de vida útil de dez anos, com uma inspecção visual aos cinco anos.

Fire Shelter

A camada externa é composta de folha de alumínio, que reflecte o calor radiante, e tecido de sílica que retarda o calor que passa para o interior do abrigo.

A camada externa da folha reflecte aproximadamente 95% do calor radiante.

A camada interna do abrigo é feita de fibra de vidro laminada a folha de alumínio, que impede que o calor seja irradiado para o indivíduo dentro do abrigo.

As alças permitem rápida implantação do abrigo, enquanto as extremidades arredondadas dispersam o calor radiante.

O Governo Regional, através do Serviço Regional de Protecção Civil, adquiriu 625 unidades de ambos os equipamentos, por forma a apoiar os operacionais de todas as corporações de bombeiros da Região Autónoma da Madeira, num investimento global de 340 mil euros.