Albuquerque espera que PJ apanhe incendiário da Boca do Namorados

Helicóptero tem-se revelado “surpresa muito positiva” no combate aos últimos fogos florestais; Estado devia contribuir

30 Ago 2018 / 12:06 H.

“No futuro o Estado português devia assumir os custos do helicóptero, porque neste momento a Região está a pagar cerca de 1. 200.000 euros por ano”. Foram as palavras do presidente do Governo Regional na entrega de viaturas de combate a incêndios, que decorreu esta manhã na Calheta.

Miguel Albuquerque realçou que, “em termos de solidariedade, era importante que Estado também desse um contributo para a segurança das populações da Madeira no âmbito da Protecção Civil”, referindo ainda que o helicóptero tem sido “uma surpresa muito positiva”, após a toda a sua discussão inicial sobre se seria ou não viável ter meios áreas de combate aos incêndios no arquipélago da Madeira.

O governante deu como exemplos os fogos na zona alta da Ribeira Brava, no fim-de-semana passado, e também o incêndio que lavra na Boca dos Namorados, em Câmara de Lobos.

Relativamente a este último caso, o presidente do Governo Regional sublinha que espera que “a Polícia Judiciária consiga apanhar o incendiário”, uma vez que se trata “ao que tudo indica de uma situação de fogo posto de forma reiterada”.

“Não podemos permitir que incendiários continuem a incendiar as nossas serras, sobretudo em zonas inacessíveis”, rematou Miguel Albuquerque.

Esta quinta-feira foram entregues quatro viaturas ligeiras de combate a incêndios florestais destinadas aos Bombeiros da Calheta, Ribeira Brava/Ponta do Sol, São Vicente/Porto Moniz e Câmara de Lobos.

No total foram nove as viaturas que recentemente chegaram à Região para reforçar o dispositivo regional de combate a incêndios. Um investimento na ordem dos 700 mil euros, cofinanciado em 85% pela União Europeia.

Outras Notícias