“Vitória da responsabilidade”

16 Mai 2019 / 02:00 H.

    Foi assim que o Primeiro Ministro classificou o resultado da votação final na AR que chumbou a devolução integral aos professores do valor relativo à progressão nas carreiras, congelado por imposição das condicionantes económico financeiras que resultaram da crise em que o governo PS de Sócrates lançou o País. BE e PCP parceiros do PS na geringonça votaram a favor da devolução integral dos referidos valores em atraso, recusando liminarmente qualquer salvaguarda que impedisse que essa devolução provocasse desequilíbrio nas contas públicas conforme pretendiam CDS e PSD, ignorando inclusive um apelo de Mário Nogueira dirigente da FENPROF nesse sentido. Ao classificar a não aprovação da lei que permitiria aos professores receber o que lhes é devido como “Vitória da responsabilidade” o PM reconhece implicitamente que os seus parceiros da geringonça BE e PCP são irresponsáveis, o que ajuda a perceber porque razão em 4 anos de governação foi sucessivamente adiada a resolução de um só que fosse dos problemas de fundo do setor público que afligem os portugueses, desde a saúde à ferrovia. Carlos César presidente do PS ao afirmar publicamente que nem BE nem PCP têm capacidade para governar, obriga António Costa (AC) com aquela habilidade de “troca tintas” que lhe é reconhecida, e de modo a salvaguardar a necessidade de uma nova geringonça, a evitar hostilizar diretamente BE e PCP. AC está focado não em resolver os problemas reais do País encontrando as convergências necessárias para esse efeito, mas sobretudo na consolidação do poder do PS com os inerentes proveitos para a família socialista. Não ficarei pois admirado que aquilo que o PS agora recusou aos professores, e já não falo sequer da devolução integral dos valores em dívida mas de uma negociação séria que o PM sempre recusou, não possa servir de moeda de troca para nova geringonça, sem qualquer pejo pela responsabilidade de voltar a fazer acordos com os ora irresponsáveis BE e PCP.

    L.I.

    Outras Notícias