Venezuela

12 Jun 2019 / 02:00 H.

    questão era sobre os Sírios havia um limite de entradas e controlo de subsídios ... a de venezuelanos é ilimitada??

    Haverá cidade, freguesia ou vila nesta Ilha da Madeira onde eles já não estejam em quantidade relativa?

    Se não houver regras, limites e controlo, em breve seremos uma minoria na nossa própria terra.

    Teremos de emigrar também? Mudamos a bandeira, hino e idioma??

    Estamos à venda aos investimentos de alguns deles que para aqui vêm fazer concorrência e explorar a mão de obra?

    Falávamos dos chineses, mas estes não são muito diferentes. Pagam mal e tarde, recorrem ao Instituto de Emprego para trabalhos onde não cumprem com as regras mais básicas dos contratos colectivos de trabalho.

    Acham que se a situação na Venezuela melhora eles regressam para lá?? Esqueçam ... vieram para ficar e estão chamando mais e mais. Até parece a época da colonização, enviam um prospector e de seguida vêm aos milhares.

    Portugal está a dar nacionalidade portuguesa a estas pessoas com tanta facilidade que em breve não saberemos falar português na nossa própria terra, até nas cartas de condução eles nos ganham, enquanto temos de investir estudando código e tirar aulas de condução, eles trazem cartas que podem fotocopiar e plastificar, são válidas até para pesados ... mesmo que nunca se tenham sentado num camião, depois é vê-los conduzir sem respeitar as regras mais básicas durante 6 meses, depois saem de férias e regressam com outra e assim sucessivamente.

    Sei que muitos irão discordar desta minha carta e chamar-me xenófobo, mas no fundo sabem que eu tenho razão.

    Espero que o próximo inquilino da Quinta Vigia esteja atento a este assunto, pois fará a diferença nos altura de votarmos (enquanto é tempo e ainda somos maioria).

    Leitor Identificado

    Outras Notícias