Santa Cruz

08 Dez 2018 / 02:00 H.

    A propósito do escrito nas “Cartas do Leitor”, publicado no DN em 2018/12/07 veio a Sra. Munícipe Joana Oliveira muito indignada com o facto de a Câmara Municipal ter declinado o transporte de um animal (arraçado de pastor alemão) bem como colocá-lo no “canil municipal porque o mesmo estava lotado”. Compreendemos a sua indignação, mas a ser resolvido este caso, ser-lho-á quando for possível e não na altura em que a Sra pretende, pelas razões que perceberá a seguir.

    - A título de mero esclarecimento, a Câmara de Santa Cruz não tem nenhum canil, mas sim um CRO – Centro de Recolha Oficial, ou seja, a função deste significa que o animal abandonado, estando ferido, é recolhido, tratado e devolvido ao local de origem, ao contrário do que aconteceria se se tratasse de um canil.

    - Este CRO tem capacidade para albergar +/-50 cães, tendo em conta as 19 boxes. Neste preciso momento o CRO tem hospedado a tempo inteiro 75 cães de vários portes e 7 gatos. Infelizmente temos alguns cães pequenos e bebés dentro das 24 boxes destinado aos gatos. Perante este cenário, até estamos a agir como de um suposto “canil” se tratasse, que não é, ou seja, temos a sensibilidade para com os animais que a Sra. Munícipe tenta deturpar.

    -Para infelicidade da Sra. Munícipe, por desconhecimento com certeza ou distração, mas se reparar nas promessas eleitorais que o JPP fez em 2013 aquando da campanha, vem assinalado com a construção de uma infraestrutura para os animais. Promessa cumprida com um Centro de Recolha Oficial, no qual foi gasto até hoje à volta dos € 300.000,00, que inclui a construção do próprio canil, a compra de ração, medicamentos para tratamento diário, a contratação de serviços médicos veterinários (cirurgias e vacinas) e todo o material adstrito ao bem estar animal.

    - Por muito que se queira resolver todas as questões relacionadas com o abandono diário de animais errantes e se tivéssemos a capacidade para albergar todos, teríamos nesta altura à volta de 300 a 350 cães, sem falar nos gatos.

    - Julgo que qualquer cidadão percebe que qualquer espaço, independentemente da área que tem, nunca será suficiente para todos os animais e não temos condições neste momento para ter mais cães, a não ser que outros entretanto saiam, do tipo “check out” para adoção o que felizmente tem acontecido no passado.

    - Quanto à invocação genérica e gratuita de desresponsabilização por parte dos políticos, com eleições à mistura, já percebi onde a Sra. Municipe quer chegar, mas sinceramente a mim não me atinge.

    - Neste momento está a decorrer o processo de legalização do CRO e em Janeiro de 2019 o médico veterinário tomará posse, ou seja, será um dos poucos municípios madeirenses a ter nos seus quadros um técnico superior com esta tarefa.

    - Tenho pena que alguns munícipes não tivessem dado os parabéns ao Município de Santa Cruz pelo trabalho diário que a equipa que tem a responsabilidade com o CRO, com muito sacrifício pessoal e familiar, todos os dias sem exceção, trabalhe para garantir o mínimo de conforto e alegria à maneira exemplar como os nossos animais são tratados. Sem qualquer vaidade, julgo ter razões de sobra para afirmar que o município de Santa Cruz trata realmente bem os seus animais.

    - Termino com um repto à Sra. Munícipe: quando desejar visitar as instalações do CRO, queira por favor entrar em contacto com a Câmara que teremos todo o prazer de lhe mostrar tudo sem qualquer problema, a fim de se inteirar da verdadeira realidade

    Miguel Alves, vice-presidente da CMSC