Professores fomentam a indisciplina?

05 Mar 2017 / 02:00 H.

    Venho, na qualidade de mãe e encarregada de educação, expor publicamente a minha indignação em relação ao que se passa nas escolas e em particular na escola básica dos 2º e 3º ciclos do Campanário.

    Já há algum tempo que, é do conhecimento público a existência de comportamentos arruaceiros, por parte de alguns alunos da referida escola. Contudo, não há a informação de que os professores tenham adotado medidas punitivas, no sentido de corrigir tais comportamentos, e de prevenir que outros alunos sigam estes exemplos. Ao que me parece e muito me preocupa, como mãe e encarregada de educação, muitos destes comportamentos ainda são encobertos para proteger a imagem da escola e de quem lá trabalha!

    É do meu conhecimento que se realizaram algumas reuniões para discutir os castigos a aplicar, aos alunos que infringem as regras. No entanto, não se aplicam corretivos a todos, nem aos que apresentam comportamentos de maior gravidade! Adotaram-se medidas infantis em alunos juvenis, que já há muito sabem distinguir o certo do errado! Ainda se fizeram desaparecer faltas de alunos que, algumas vezes, saíram da sala de aula por ordem dos professores! Pergunto eu: como fica a autoridade e o respeito que se deve a um professor? Será que não estão a contribuir para a formação de pequenos déspotas? Vão ficar à espera de mais agressões e violência?

    Já contactei com diversos professores durante o percurso escolar dos meus filhos e, num contacto mais próximo, não considero que sejam pessoas desprovidas de valores, nem de bom senso. Digam-me senhores professores, porque me parece que não posso confiar-vos os meus filhos para complementarem o que lhes transmito em casa? Por que motivo os meus filhos, quando os castigo me respondem que na escola fazem o mesmo e os professores não dizem nada? Por que é que os meus filhos me dizem que os colegas “respondem torto” aos professores e que eles não os castigam? Senhores professores, faço-vos um apelo: lembrem-se que contribuem para a formação do carácter dos adultos de amanhã e ajudem estes pais que nem sempre têm o tempo desejado, para acompanharem e apoiarem os seus filhos no seu crescimento. Não se esqueçam que são uma referência para estes jovens e que têm uma profissão muito nobre e digna se assim o pretenderem.

    Leitora identificada

    Outras Notícias