O tarzan teve de ir à cidade

17 Mar 2019 / 02:00 H.

    Porque estando habituado à selva, eis que numa tentativa de um salto em falso onde a (liana) pregou uma partida, e na queda teve de ser assistido pelos amigos bombeiros. Depois de ser levado rapidamente para o hospital sendo prontamente assistido e diagnosticado, uma perna partida e pequenas escoriações, o facto de por razões de ordem medicamental não poder ser efectuada intervenção no acto, teve de esperar 9 dias para a operação. No entretanto os profissionais muito prestados e durante este período de convalescença tornaram este tempo menos difícil possível, com a sua total dedicação e atenção. Após a intervenção e já na recuperação foi sempre com o mesmo empenho e dedicação que os profissionais, seus colaboradores e assistentes lhe proporcionou menos amargas as horas de internamento, o que após 9 dias o «tarzan» teve de regressar a casa. Depois de passar aquilo que já foi designada por alguém de selva, pois seria aí que estariam a habitar os então denominados selvagens, que mesmo maltratados, humilhados e por vezes até difamados, se dedicam a cuidar com empenho e dedicação de quem precisa, numa classes que deveria ser acarinhada, valorizada e sobre tudo bem remunerada, pois a sua dedicação e empenho por vezes excede à disponibilidade dos próprios meios e serviços. Desde aqui um agradecimento e um bem haja a toda a equipa do Hospital do Funchal, pela forma dedicada, carinhosa e empenhada como exercem o seu profissionalismo, em especial a ala nascente da ortopedia, desde o mais humilde dos funcionários até a sua equipa técnica, merecem todo o meu agradecimento, gratidão e admiração. Porque a vossa vontade de servir nunca o desmotivem, mesmo que não tenham o devido reconhecimento que merecem. Porque há sempre dinheiro para repor roubos na banca e sustentar corrupção a vários níveis,, porque não para pagar quem se dedica ao serviço dos cidadãos? A sociedade agradece;

    A.J. Ferreira

    Outras Notícias