Dia Mundial da Internet

15 Mai 2019 / 02:00 H.

    O Dia Mundial da Internet celebra-se a 17 de Maio. A data foi estabelecida pela Organização das Nações Unidas (ONU) em Janeiro de 2006, sendo também conhecida como Dia Mundial das Telecomunicações e da Sociedade de Informação. Tem como objectivo propiciar uma reflexão sobre as potencialidades e os desafios das novas tecnologias na vida dos cidadãos, bem como das suas vantagens e inconvenientes.

    A Internet teve origem nos finais dos anos 60, e o seu advento originou uma grande mudança no dia-a-dia das pessoas, na forma como comunicam entre si, como procuram e recebem informação, compram bens e serviços, entre muitas outras acções do quotidiano.

    Frequentemente suscita diferentes opiniões, resultando dos diversos conteúdos que tem disponíveis, pois se uns são verdadeiros e credíveis, outros há que são suspeitos, falsos ou de fontes duvidosas.

    O seu alvo principal foi sempre a comunicação. Hoje podemos comunicar, numa fracção de segundo, com pessoas em qualquer parte do mundo, compartilhar os nossos pensamentos, explorar outras culturas, projectar e concretizar tarefas a longa distância, de forma rápida e eficiente. A informação é, provavelmente, a maior vantagem que ela oferece, pois qualquer assunto está disponível na Internet. Existem os motores de busca que nos fornecem uma grande variedade de sites, relacionados com os temas que pretendermos. Também se vulgarizou o hábito de tratar e resolver assuntos do quotidiano, pela possibilidade de fazer pagamentos, compras, documentos, enfim, um sem número de tarefas que nos facilitam a vida.

    Na educação é uma ferramenta indispensável e todos sabemos das suas vantagens, bem como das inerentes desvantagens, por isso é bom estarmos atentos, porque também são muitas. Para além de alguma superficialidade e de implicar ausência de reflexão sobre as matérias, há que ter em conta a facilidade com que se podem copiar e apropriarem-se conteúdos alheios, fazendo-os passar por seus. Obviamente que aqui o prejudicado é sempre o que não soube aprender e em consequência não evoluiu no conhecimento, embora tenha recorrido ao saber e ao trabalho de outrem.

    Uma boa orientação e o sentido do adequado uso tem de ser uma constante na educação, na escola, em casa, nos alunos, nos filhos, nos netos, nos adultos, porque é uma tecnologia que a todo o momento nos pode levar para um campo muito perverso, de contextos incontroláveis.

    É ainda uma forma muito cómoda de recorrer a alguns passatempos, curiosidades, notícias, dentro de infinitas possibilidades lúdicas e pedagógicas. Porém, se considerarmos que a Internet é uma forma de entretenimento, ao mesmo tempo é uma ferramenta de trabalho e de estudo, logo perceberemos que é muito fácil dispersar-nos com as inúmeras atrações que nos distraem e estão a um clique de distância.

    Uma outra das suas consequências negativas poderá ser a solidão e a falta de partilha com os outros, esclarecendo dúvidas, perplexidades, diminuindo a convivência social, o saber estar, argumentar e falar com os demais. De muito virtual se pode chegar a um estado de quase autismo ou fora de contexto real, pela falta da comunicação presencial, que nos transmite mais informação e afetividade.

    De todos os inconvenientes o mais perigoso nos nossos dias é o acesso à pornografia e à pedofilia que se tornou numa grande ameaça à vida de todos, principalmente dos menores de idade, para quem o contato com a pornografia pode provocar desequilíbrio e inúmeros distúrbios mentais, reacionais e psíquicos. Estonteantes estatísticas, que referem por defeito, o acesso a sites pornográficos de crianças, jovens, homens e de mulheres que tiveram recentemente um aumento muito acentuado.

    Existem milhares de sites pornográficos, que podem ser facilmente visualizados e encontrados, pelo que se torna necessário muito cuidado e atenção por parte dos adultos. Além disso, as redes sociais escondem pedófilos, que se fazem passar por amigos para tentar uma aproximação com crianças e adolescentes, com manobras sedutoras e sofisticadas. Toda a prudência é pouca. A instituição escolar tem também um papel fundamental na pedagogia e conscientização dos seus alunos e encarregados de educação face a este perigo, que é transversal na vida de todos.

    A violência na Internet é também um outro grande factor de risco, porque existe uma oferta de sites que incentivam à violência, em grupo, em casa, na escola, nos empregos e em sociedade.

    Sabemos que existem problemas que podem ser agravados com o uso e o abuso da Internet, mas seguramente, os pontos positivos superam-nos. Como em tudo, o problema não está nas coisas, mas no mau uso que delas se faz, e neste campo tem havido muitas falhas humanas, na medida em que a tecnologia domina e absorve o homem, enquanto deveria ser ao contrário.

    Aproveitemos esta efeméride para reflectirmos e corrigirmos o modo como cada um de nós está a utilizar estes tão poderosos recursos.

    Termino com uma frase que me fez pensar: «O email interrompe o trabalho, alonga a jornada laboral, perturba o pensamento e a vida familiar. E não conduz a debates produtivos». Nitin Nohria, presidente da Harvard Business School

    Maria Susana Mexia

    Outras Notícias