Dia de São Valentim

13 Fev 2019 / 20:47 H.

    O dia de S. Valentim será celebrado este ano no nosso Pais sob uma nuvem de violência doméstica, de intolerância, de desentendimento entre casais de qualquer idade, fruto de uma sociedade apodrecida pela estravagância, erguida sobre os pilares da hipocrisia, da imoralidade, da falta de valores, de princípios e de honestidade, verdadeiramente de bradar aos céus!

    E é uma pena.

    Porque o dia de S. Valentim, representa a expressão sincera do amor. Um dos momentos próprios para a demonstração pura e mútua de sentimentos nobres; o dia da confirmação e da exaltação da afetividade que liga ou deveria ligar os casais.

    Este dia, merecia, indiscutivelmente, ser recebido neste ano de 2019 por um “berço” melhor. Um “berço” envolto num clima de paz, de compreensão, de respeito pelo próximo.

    Mas, infelizmente, não será. São muitos os tumultos, as desavenças, as intrigas e, consequentemente, a violência, que assolam os casais com os tristes e lamentáveis resultados que conhecemos.

    Contudo, sejamos honestos na avaliação. A esmagadora maioria dos jovens e adultos merece viver e comemorar o dia de S. Valentim. E são exatamente estes dados que nos permitem olhar para este dia pelo seu lado positivo, pelo lado da ternura, do carinho, do amor que o envolve.

    Um pouco por todo o mundo, este dia simboliza o início de muitos romances amorosos, o reencontro e a reconquista de amizades, a concretização de vários sonhos que tem por base esse sentimento altruísta, divinal, impar, tão sensível e carinhoso que está alojado no fundo do coração de cada um de nós e que dá pelo nome de AMOR!

    Evidentemente que, o AMOR não tem, nem pode ter, dia e hora específicos para ser vivido ou demonstrado, mas é inegável que o dia de S. Valentim funciona, digamos, como um íman que atrai os corações, o desejo das pessoas se aproximarem mais; de uns, confessarem os seus sentimentos, e de outros, através de gestos simbólicos, confirmarem o seu afeto, o seu carinho, enfim, o seu amor.

    A despeito do momento conturbado em que vivemos e do qual já nos referimos, vamos acreditar que este dia de S. Valentim possa e deva ser vivido com muita amizade, carinho e fraternidade.

    O AMOR não tem idade, nem crenças, nem barreiras, é um sentimento que explode sem aviso prévio, a qualquer momento, criando raízes ou deixando (amorosas) recordações para toda a nossa vida. Mesmo longa que ela seja!

    Mas a vida nunca é longa demais, quando tem o AMOR por detrás!

    Juvenal Pereira

    Outras Notícias