APEL

08 Dez 2018 / 02:00 H.

    O dia de Capas, a APEL e um fundador chamado Mário Casagrande

    Todos os anos, no dia 7 de Dezembro, os alunos da escola da APEL cumprem uma das tradições mais importantes do seu percurso: o “Dia das Capas”.

    É, sem dúvida nenhuma, um dia de homenagem aos alunos e ao trabalho que realizaram no secundário, aos pais que os acompanharam e apoiaram e aos professores que se empenharam no desenvolvimento da sua aprendizagem.

    Portanto, um dia de sublinhar memórias e preparar o futuro. Porque é assim que se fazem os futuros profissionais e homens desta sociedade, lembrando a História para trilhar um melhor futuro.

    Por isso, no dia 7 de Dezembro, na escola da APEL sempre que se celebram as Capas, a escola deve sublinhar o papel dos seus principais mentores, a começar pelo Padre Mário Casagrande, pelo Padre Angelo e pelo Sr. Gastão.

    Alguém duvida que hoje haveria uma APEL com a credibilidade e nome que tem sem o trabalho de base destes homens e sem o empenho dos primeiros alunos que até ajudaram a por de pé a APEL dos pré-fabricados?

    Quem os conheceu sabe bem que não eram as homenagens ou o prémio da História que os movia. Logo, não se importarão de ser ignorados ou secundarizados em quaisquer honrarias que tenham sido ou venham a ser promovidas porque todos os dias 7 de Dezembro lembram estes homens que deram vida e sal à APEL.

    A minha sugestão, é que nesses momentos de “alguma vaidade” não esqueçam os princípios que estes fundadores valorizaram com o exemplo diário do seu trabalho. Porque, se isso acontecer, perder-se-á a alma da escola. Então saberemos que o projecto deixou de ser o sonho de um ensino de superior qualidade e de preparação de homens verdadeiros.

    MPF