Madeirenses reclamam cada vez mais

Portal da Queixa recebeu em 2018 1.284 reclamações, mais 18% do que no ano anterior

14 Jan 2019 / 09:00 H.

Ao longo do ano passado, o Portal da Queixa (http://www.portaldaqueixa.com/) recebeu 1.284 reclamações de consumidores da Região Autónoma da Madeira.

Este total revela um aumento de 18% relativamente ao número de queixas recebidas em 2017 (1.090) e quase o dobro daquelas registadas em 2016 (705).

De acordo com os dados fornecidos ao DIÁRIO pelo Portal da Queixa, das 1.284 reclamações recebidas, 64% foram respondidas pelas marcas ou entidades a quem os consumidores reclamaram.

Entre as marcas mais reclamadas pelos madeirenses, destacam-se os CTT (119 queixas), a Meo (79), a TAP (46), a Segurança Social (34), o eDreams (32), a Worten (32), a NOS (28), o CTT Expresso (26), o Pingo Doce (14) e a GLS (13)

As informações disponibilizadas pelo Portal da Queixa revelam ainda que entre as marcas que menos resposta deram, estão a TAP (30 queixas), a Segurança Social (25), a Câmara Municipal do Funchal (6), a Autoridade Tributária e Aduaneira (5), a Easyjet (5), o PortalB2B (5), a GLS (5), a Samsung (4), o ViaBuy MasterCard (4) e o Centro Nacional de Pensões (4).

“Tal como se vê pela análise de ambas as tabelas a TAP e Segurança Social são as que menos respondem e que se encontram igualmente no topo das mais reclamadas”, acrescenta a entidade.

250 reclamações por dia

O Portal da Queixa, a maior rede social de consumidores em Portugal, tem mais de 300 mil utilizadores registados, e conta com uma média de 9 mil novos registos a cada mês.

Com 1 milhão de visitantes únicos por mês que geram 3 milhões de pageviews/mês, o Portal da Queixa recebeu, entre Janeiro e Dezembro de 2018, em média 250 reclamações por dia (perto de 90 mil ao ano). Contudo, destaca-se o facto de que 98% dos visitantes não efectua uma queixa, apenas visualiza as reclamações dos apenas 2% dos visitantes que regista reclamações.

Pedro Lourenço, CEO do Portal da Queixa, avalia estes resultados como conclusões positivas e explica: “Enquanto que, há alguns anos, a relação entre marca e consumidor era na sua maioria privada, hoje, as marcas são postas à prova publicamente e avaliadas na forma como resolvem os problemas com os seus clientes. Assim, o consumidor actual - cada vez mais online - procura obter a garantia de confiança na marca, através da opinião dos outros consumidores em plataformas como o Portal da Queixa, e isso tem um impacto muito grande na percepção real com que este fica das marcas no mercado.”