Elimina o doente, não o sofrimento

15 Fev 2020 / 02:00 H.

Para o Bispo do Funchal legalizar a eutanásia será o mesmo que o Estado declarar a sua incapacidade de garantir a todos uma vida completamente digna, com a agravante da morte medicamente assistida não eliminar o sofrimento, mas apenas o doente. Mas não só. Seria também um grave atentado à “inviolável” vida humana consagrada na própria Constituição, mesmo admitindo em tom de denúncia...