“É tudo muito novo, estou com alguma ansiedade”

A Universidade da Madeira deu ontem as boas vindas aos novos alunos

14 Set 2019 / 02:00 H.

A Universidade da Madeira (UMA) deu ontem as boas vindas aos novos estudantes. Uma prática que tem vindo a se realizar todos os anos, até porque, de acordo com Elsie Santos, docente e membro da organização da recepção aos alunos da UMa, esta iniciativa tem como objectivo fazer com que estes “não se sintam perdidos” nesta nova fase das suas vidas.

Satisfeita, disse que o feed-back tem sido positivo, até porque esta iniciativa faz com que os alunos se sintam “acarinhados” e prontos para dar um passo em frente na sua formação.

“Procuramos que os alunos, no primeiro dia de aulas na universidade, já conheçam um pouco da estrutura da UMa e não se sintam perdidos. Neste dia, eles ficaram com uma ideia geral da organização da universidade, conheceram os espaços e ficaram a saber onde podem procurar apoios e a razão pela qual é importante participar em Erasmus”, explicou.

Tudo começou às 9 horas, com o registo de participantes, na entrada do Campus da Penteada, seguindo-se, pelas 9h30, uma reunião com os respectivos presidentes das faculdades/escolas superiores, coordenadores de departamento/áreas científicas, directores de curso, e docentes e estudantes dos conselhos de curso, seguida de uma visita ao Campus da Penteada.

Antes de serem recebidos pelo Reitor da UMa, José Carmo, o DIÁRIO falou com alguns alunos que se mostraram entusiasmados e, ao mesmo tempo, nervosos. Foi o caso de Maria Nunes que entrou para Medicina. Um curso que escolheu apenas no secundário e que espera que corra bem. “Nunca pensei em ser médica, até porque não sabia muito bem o que queria fazer. No entanto, acho que fiz uma boa escolha, porque sempre gostei de ajudar as pessoas e de proporcionar uma vida melhor aos outros”, disse.

A jovem ainda não sabe qual será a especialidade que irá escolher, até porque ainda é cedo para decidir seja o que for. Em primeiro lugar quer ver como corre o curso e depois decide, embora tenha preferência pelas áreas da cardiologia e da neurologia. “Tenho preferência por estas duas áreas, mas as coisas podem mudar no decorrer do curso”, afirmou.

Sem conseguir esconder a ansiedade, tem plena noção de que irá precisar de estudar muito para conseguir passar com distinção e abraçar a profissão de médica. “É tudo muito novo, estou com alguma ansiedade, mas vai ser um bom curso, obviamente muito estudioso. Já estive a falar com os alunos do segundo ano e eles dizem que é preciso estudar imenso, mas como somos alunos de medicina e estamos habituados a estudar e a ter notas altas, penso que isto não será uma grande novidade”, referiu.

Quem também está preparada para estudar é Maria Câmara. A jovem irá tirar Biologia. Ontem teve a oportunidade de conhecer os laboratórios e revelou estar “ansiosa” para que comece o curso.

Apesar disso, já sabe o que quer fazer em termos futuros e a escolha recai sobre a investigação e o turismo da Natureza. Mas ainda tem muito pela frente, como as praxes, por exemplo. Algo que não a assusta. “Eu até gosto”, atirou em jeito de conclusão.

O momento da recepção aos alunos foi acompanhado pela música da tuna.