Rubina Leal lembra condições meteorológicas de "catástrofe" e "mão criminosa" nos incêndios

10 Ago 2016 / 22:45 H.

Uma temperatura que ultrapassou os 38 graus, humidade do ar de apenas 10% e ventos, nas zonas altas, da ordem dos 90 km/h, foram as condições de "catástrofe natural" que Rubina Leal recordou, para justificar que os incêndios que atingiram a Região aconteceram num quadro muito adverso. Um cenário em que, sublinha, os operacionais da Protecção Civil, agiram da melhor maneira possível.

Tempo propício a incêndios e "mão criminosa", refere a secretária regional da Inclusão e Assuntos Sociais que deu, esta noite, uma conferência de imprensa de balanço ao combate aos fogos. Rubina Leal recordou que um homem ficou em prisão preventiva por suspeita de fogo-posto.

Rubina Lela informou que havia três fogos activos, em São João Latrão (São Gonçalo), Câmara de Lobos e Prazeres, dois em fase de rescaldo, nas Eiras e nas Carreiras e um em vigilância activa, na Ribeira Brava.

Na conferência de imprensa, foram referidos dados sobre a ajdua prestada às vítimas dos incêndios. Cerca de 400 pessoas permanecem alojadas no Regimento de Guarnição º3 por não terem perdido as suas casas ou não terem condições de regressar.

A governante elogiou o trabalho dos operacionais que combatem os fogos e volta a referir que os incêndios ocorreram num quadro muito complicado.