Arquitetos Rem Koolhaas e Álvaro Siza Vieira em conferência sobre reabilitação em Lisboa

25 Mar 2016 / 12:24 H.

     Os arquitetos Rem Koolhaas e Álvaro Siza Vieira vão participar numa conferência internacional sobre reabilitação de edifícios e espaços públicos, que decorrerá de 06 e 09 de setembro, em Lisboa, disse à agência Lusa fonte da organização.

    Esta será a 14.ª conferência internacional Docomomo - comité internacional para a documentação e conservação de edifícios, sítios e espaços públicos -, a primeira a realizar-se em Portugal, de acordo com a atual presidente da organização, Ana Tostões.

    "Acreditamos que a reabilitação e recuperação de edifícios é um tema com futuro, cada vez mais importante, porque tem a ver com a sustentabilidade", sublinhou a professora catedrática do Instituto Superior Técnico, contactada pela agência Lusa.

    A conferência vai decorrer na Fundação Calouste Gulbenkian, sob o tema "Adaptive Re-use. The Modern Movement Towards the Future", e inclui um programa de mesas-redondas, 'workshops' e visitas a edifícios e estruturas urbanas, no centro e norte do país.

    Os arquitetos Álvaro Siza Vieira, Rem Koolhaas - criador da Casa da Música, no Porto - Joan Busquets, Juhani Pallaasma, Winfried Brenne, João Gomes da Silva, João Luís Carrilho da Graça, e os ateliês Lacaton & Vassal e Caruso St John Architects estão na lista dos conferencistas.

    O Docomomo realiza esta conferência internacional cada dois anos, tendo a anterior decorrido em Seul, na Coreia, também com a presença de arquitetos de todo o mundo, desde a Austrália, Chile, Reino Unido, Brasil, Grécia, Israel, México, Finlândia e Espanha.

    Trata-se de uma organização criada nos anos 1980 para promover a documentação e conservação de edifícios e espaços públicos criados no século XX.

    "Há um imenso parque de edifícios e estruturas criadas no século XX, que estão ao abandono. Trata-se de um grande património, de valor variável, mas importante e desafiante para os arquitetos. Numa altura de crise económica, quando há menos obras a construir de raiz, é cada vez mais importante olhar para estas construções do Movimento Moderno", sublinhou a arquiteta Ana Tostões.

    Este ano, o tema foca-se na conservação e reutilização de edifícios, promovendo e divulgando as técnicas apropriadas e métodos de conservação para explorar e desenvolver novas ideias para "um ambiente construído sustentável no futuro, baseado nas experiências do passado".

    Ana Tostões considera que a crescente reutilização dos edifícios "é uma grande vitória na área da sustentabilidade, com vantagens económicas, políticas, culturais, ambientais e sociais".

    A conferência internacional inclui 'workshops' de 01 a 05 de setembro e visitas, entre os dias 04 a 12 de setembro, em Lisboa e no norte do país, realizadas em parceria com universidades do Porto, Guimarães e Coimbra.

    Lusa

    Outras Notícias