Festival Literário da Madeira quer Nobel em 2016

21 Out 2015 / 13:52 H.

Evento realiza-se de 11 a 17 de Abril e conta com o apoio da Câmara do Funchal

A próxima edição do Festival Literário da Madeira (FLM), em 2016, poderá contar com um Prémio Nobel da Literatura. Este pelo menos é o desejo da Nova Delphi revelado esta tarde pelo director, Franscesco Valentini durante a apresentação de um protocolo que une a empresa detentora da editora madeirense, a Euthalia Editora, à Câmara Municipal do Funchal. O objectivo é assegurar o apoio do Município na realização desta iniciativa que engrandece a cidade.

A 6.ª edição é dedicada ao tema ‘Verdade e Mentira na Ficção Literária’. Realiza-se entre os dias 11 e 17 de Abril e deverá contar com escritores de renome a nível nacional. São esperadas participações também internacionais mas para já Francesco Valentini não revela quem são os nomes já confirmados. O modelo, esse, será dentro do de 2015, com o ‘Festivalinho’, com as mesas e eventos musicais.

“Estamos a tentar trazer aqui finalmente o Prémio nobel da Literatura, não sei se será uma tarefa fácil, mas este é o nosso objectivo”, disse Francesco durante a apresentação. Os contactos estão a ser feitos em várias direcções, de escritores reconhecidos com um Nobel de França, Itália e mesmo Rússia. Tirando este, que para já é um desejo, o director do festival diz que o “plantel será de grande riqueza, autoridade e qualificação”.

A CMF vai apoiar com 10 mil euros, com a cedência do Teatro Municipal Baltazar Dias, com tendas, com transportes, som e tradução. Paulo Cafôfo considera bem empregue. “A cultura tem custos, mas tem de começar a ser vista como um investimento. Este é um investimento que a Câmara faz na Literatura”.

Depois de afirmar que a qualidade do evento é inquestionável, o presidente da CMF referiu como ponto forte o facto de no FLM não serem apresentados só livros e escritores. “Tem-se criado e produzido pensamentos e ideias, o que é fundamental no mundo em que vivemos, de promover o debate e de promover a discussão e o festival Literário tem cumprido esse serviço público”.

 

 

Outras Notícias