Balsemão destaca papel da imprensa para que “Democracia não apodreça”

Inauguração da exposição do Expresso juntou Miguel Albuquerque, Paulo Cafôfo e João Cunha e Silva

08 Out 2013 / 12:35 H.

 

O presidente do grupo Impresa, Francisco Pinto Balsemão, afirmou esta manhã, no Funchal, que “o jornalismo é importante” num período de crise como aquele que Portugal vive presentemente e que os órgãos de comunicação social não podem alhear-se “quando tanto se lamenta o estado em que a Democracia se encontra”. “Necessitamos de uma Democracia que funcione melhor, que não apodreça, que encontre outras formas de representação para que as pessoas possam exercer os seus direitos”, declarou o empresário na inauguração da exposição que assinala os 40 anos do semanário Expresso, no Largo do Município.

Balsemão lembrou o papel do semanário do grupo Impresa na implantação da Democracia após o 25 de Abril de 1974, designadamente a fase em que era “o único órgão de comunicação social que não estava controlado pelo Partido Comunista Português e pelos seus aliados no MFA”. O presidente da Câmara do Funchal, Miguel Albuquerque, também fez referência ao papel do Expresso na consolidação da Democracia e destacou a matriz democrática da capital madeirense: “É preciso não esquecer que foi nesta cidade do Funchal que em 1931 houve a primeira revolta contra a ditadura nacional”. O autarca aproveitou também para agradecer o apoio de Francisco Balsemão no apoio à Madeira aquando da tragédia de 20 de Fevereiro de 2010, sobretudo através da SIC Esperança.

Na cerimónia desta manhã participaram também o vice-presidente do Governo Regional, João Cunha e Silva, e o novo presidente eleito da Câmara do Funchal, Paulo Cafôfo. Albuquerque aproveitou o seu discurso para desejar felicitações ao sucessor.

 

 

Outras Notícias