Funchal e Gibraltar querem estreitar relações

As duas cidades, geminadas desde 2009, podem apostar na área cultural, no intercâmbio juvenil e empresarial

13 Mai 2013 / 18:41 H.

Cerca de 60 cidadãos de Gibraltar, cidade geminada com o Funchal desde 2009, ano do quinto centenário da cidade, estão na Madeira para a Festa da Flor e esta atrde foram recebidos pelo presidente da autarquia. Numa cerimónia realizada no salão nobre da Câmara Municipal, após Miguel Albuquerque receber em audiência o 'Mayor' gibraltino, Anthony Lima, ficou clara a intenção de estreitar as relações entre as duas comunidades.

Depois das palavras de circunstância e da troca de presentes, Miguel Albuquerque, que deixa o cargo em Outubro, explicou que a área cultural pode ser interessante para que as relações possam ser aprimoradas. "Gibraltar é um ponto nevrálgico no Mediterrâneo e tem um potencial muito grande ao nível do turismo de cultura, inclusive têm uma cultura muito interessante e diversificada, com uma história ancestral muito rica", disse.

"Por outro lado, acho que podemos cooperar ao nível da manutenção dos laços afectivos e culturais  muito fortes e que se mantém ao nível da geração mais antiga", destacou. "No fundo, o grupo faz parte da comunidade que esteve aqui durante os anos da II Guerra Mundial e que foram muito bem acolhidos na Madeira, houve até grandes casamentos, sobretudo de gibraltinas e famílias madeirenses".

Para o futuro, mesmo que Miguel Albuquerque já não seja o 'Mayor' funchalense, promete manter essa postura fora deste contexto político. "Podemos cooperar em muitas áreas. Gibraltar é um território pequeno mas com um potencial grande de desenvolvimento económico, com apostas, por exemplo, nos serviços financeiros ou o turismo."

O autarca também propôs o início de um intercâmbio juvenil entre as duas cidades, com jovens gibraltinos a passarem uma temporada na Madeira e vice-versa. "Já estamos a fazer isso com Liechlingen (outra das 14 cidades geminadas com o Funchal), em que todos os anos vão grupos de alunos que ficam em casas de famílias na Alemanha e de lá, vêm e ficam cá alojados, através das associações de amizade. É uma tarefa que deve caber à próxima câmara, mas penso que o mais fácil seria criar uma associação de amizade entre Gibraltar e o Funchal e, através delas, fazer esse intercâmbio. Seria muito interessante porque os jovens têm um contacto directo com a cultura local, têm um conhecimento pessoal de amizade que se mantém ao longo dos anos. É uma grande forma também de trabalhar a geminação e que não custa muito dinheiro", concluiu.

Outras Notícias