Gestor do Ministério da Saúde que gastou 100 mil euros ao Estado em viagens à América Latina

17 Mar 2013 / 12:05 H.

    Um professor português detido nos EUA por ameaça terrorista e um gestor do Ministério da Saúde que gastou 100 mil euros ao Estado em viagens à América Latina fazem hoje capas dos diários nacionais.

    O Correio da Manhã chama para manchete a notícia de que o actual presidente da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo, Luís Cunha Ribeiro, fez entre 2008 e Maio de 2011, quando era consultor do Ministério de Ana Jorge, 13 deslocações a Cuba, Uruguai e Colômbia, e gastou 7.700 euros em cada uma.

    No Diário de Notícias, o destaque vai para a história de um professor português que foi detido há dois meses nos EUA quando se recusou a abrir as malas à entrada para um monumento histórico dizendo que levava explosivos na mala.

    Embora se tivesse constatado que não havia explosivos na mala, o professor ficou detido por ameaça terrorista.

    As declarações do papa Francisco, que no sábado disse querer uma "igreja pobre para os pobres", a morte de um jovem numa perseguição policial e a vitória do Sporting na despedida de Godinho Lopes são outros destaques nos jornais este domingo.

    A imprensa portuguesa destaca ainda a alegada divergência entre PSD e CDS sobre os poderes ou a continuidade de Vítor Gaspar no Governo e a intenção governamental de disciplinar a prescrição de antibióticos para prevenir a perda de eficácia daqueles medicamentos.

    Lusa