Novas infeções por VIH em Macau atingem valor recorde

No entanto, uma ONG diz que a situação está sob controlo

08 Mar 2013 / 07:31 H.

Macau registou, no ano passado, 33 novas infecções por VIH, o valor mais elevado da década, mas o presidente da Associação para os Cuidados da SIDA de Macau, Dennis Cheang, referiu que a situação está "sob controlo".

"As informações relativas a 2012 não significam que se esteja a verificar uma mudança no que diz respeito à situação da SIDA em Macau", apontou o dirigente da organização não-governamental, sustentando que o aumento dos casos, em termos anuais, foi ligeiro.

Em 2011, foram declaradas 21 infecções por VIH (Vírus da Imunodeficiência Humana) contra as 33 de 2012, segundo os dados dos Serviços de Saúde, que dão ainda conta de uma subida do número de casos que evoluíram para SIDA, de quatro para 13.

"Não estamos muito preocupados", apontou Cheang, realçando que, na realidade, a taxa pode ser considerada "baixa" e como estando "sob controlo".

Mais turistas e pessoas oriundas de diferentes países têm vindo para Macau ao longo da última década, pelo que é mais provável que haja mais infecções por VIH, sustentou, referindo que a associação continua a promover acções no sentido de elevar o conhecimento sobre a SIDA, tentando ainda diminuir a eventual discriminação dos seropositivos.

A principal via de transmissão é a sexual (57,5 % do total) - dos quais 12 casos ocorreram por via heterossexual e sete por homossexual/bissexual - seguida da utilização de drogas injectáveis, com quatro casos ou 12%. Já nos restantes dez casos sinalizados em 2012, a via de transmissão é "desconhecida".

O sexo masculino continua a ser o mais afectado: 20 dos 33 casos de VIH e 11 dos 13 de SIDA envolviam homens. Segundo os mesmos dados, quatro em cada dez infeções por VIH diziam respeito a residentes locais.

Cumulativamente, desde 1986 até ao final de Dezembro do ano passado, o número de casos de infecção por VIH detectados em Macau foi de 508, dos quais 45% envolviam "residentes temporários ligados à indústria de diversões". Do total, 73 evoluíram para SIDA.


 

Outras Notícias