Vítor Melícias pede que famílias "não desesperem" nas horas difíceis

07 Set 2012 / 22:06 H.

O padre Vítor Melícias incitou hoje as famílias a não desesperarem nos momentos difíceis, lembrando a tradicional "resistência" dos portugueses num dia em que foram anunciadas novas medidas de austeridade.

"Nós portugueses soubemos na hora do sofrimento resistir e combater", comentou o padre em Lisboa, à entrada para o jantar de celebração dos 90 anos do ex-líder do CDS-PP Adriano Moreira.

"O que se deve dizer aos portugueses é que desesperar nunca [é solução]. Para um português não há um beco sem saída. Nós havemos de encontrar saída e ela será tão mais fácil quanto soubermos todos solidários uns para com os outros", disse Vítor Melícias.

O ministro da Segurança Social, Pedro Mota Soares, escusou-se, à entrada para o jantar de hoje, a comentar as novas medidas anunciadas por Pedro Passos Coelho.

O primeiro-ministro anunciou hoje ao país que os pensionistas continuarão sem subsídios de Natal e férias em 2013 e que os funcionários públicos continuarão com um dos subsídios suspenso e o outro será reposto de forma diluída nos 12 salários, apenas para ser retirado de novo através do aumento da contribuição para a Segurança Social de 11 para 18 por cento.

Os trabalhadores do setor privado perderão, na prática, um subsídio através do aumento da contribuição para a Segurança Social, que nas contas do Governo corresponde ao equivalente a um dos subsídios.

A declaração do primeiro-ministro em São Bento surge numa altura em que a quinta avaliação do Programa de Assistência Económica e Financeira (PAEF) pela 'troika' se aproxima do fim, e como forma de contornar a decisão do Tribunal Constitucional em declarar inconstitucional para 2013 os cortes nos subsídios apenas para pensionistas e funcionários públicos.

Lusa

Outras Notícias