Jardim indica a “Maçonaria” como a principal praga da Madeira

29 Jun 2012 / 20:11 H.

“O problema da Madeira são certas pragas que andam por aí à solta” e a principal delas é a “formiga branca”, leia-se “a maçonaria”. Este desabafo, da autoria de Alberto João Jardim, foi feito esta sexta-feira quando discursava na inauguração de quatro pavilhões no Parque Empresarial da Camacha, um dos quais será ocupado pela empresa Rentokill, especializada no combate a pragas, desde as protagonizadas por roedores até à da formiga branca.

“Fico muito satisfeito por saber que aqui neste complexo vai ficar também uma empresa que vai dar combate à formiga branca”, disse o presidente do Governo regional, observando que a empresa (uma multinacional britânica que opera em Portugal desde 1927), podia contar com o seu apoio no combate este tipo de pragas, uma das poucas que existem na Região, observou.

Antes, em tom mais sério, Alberto João Jardim fez questão de elogiar o vice-presidente do Governo Regional, João Cunha e Silva, pelo que trabalho que a sua equipa tem vindo a realizar junto das pequenas e médias empresas da Região, sobretudo através da canalização de verbas e apoios que, nalguns casos, têm assegurado a “sobrevivência” das mesmas, e, noutros, “mesmo numa altura destas (de crise), avançar com novos investimentos”.