Comissão Nacional de Eleições diz que boicotes são "irrelevantes" estatisticamente mas com relevo político

23 Jan 2011 / 13:34 H.

     O porta-voz da Comissão Nacional de Eleições (CNE) afirmou hoje que os boicotes às eleições presidenciais são "irrelevantes", estatisticamente, embora tenham alguma importância do ponto de vista político.

     

    "Quatro casos para vários milhares de mesas estatisticamente é irrelevante. Do ponto de vista político tem algum relevo, porque está a acontecer e há aqui algumas manifestações de descontentamento que são claramente expressas pelas pessoas. Mas em termos de relevância para o acto eleitoral não tem nenhuma", disse hoje à Lusa Nuno Godinho de Matos.

     

    Nas freguesias do Muro(Trofa), Vila Nova de Mansarros (Anadia), e de Serpins (Lousã), "a mesa de voto não foi constituída". As autoridades irão repetir terça-feira o acto eleitoral nestas quatro localidades. Apesar disso, de acordo com o responsável, "as eleições abriram com uma total normalidade e sem nada que se possa destacar", embora haja "algumas excepções".

     

    Já na freguesia da Gralheira, Cinfães, "a mesa está constituída, mas as pessoas não votam". "Ninguém obstaculiza a que os cidadãos eleitores votem, os próprios é que não votam como forma de chamar a atenção para a sua localidade e para os problemas da sua localidade", afirmou.

     

    As urnas para as eleições presidenciais abriram hoje às 08:00 em Portugal Continental e na Madeira, encerrando às 19:00. Nos Açores, as urnas abrem e encerram uma hora mais tarde devido à diferença horária (menos uma hora do que em Lisboa). Para o sufrágio de hoje estão inscritos um total de 9.656.474 eleitores.

    Lusa

    Outras Notícias