Open da Madeira

'Santo da Serra' admite levar a prova para o Porto Santo em 2009

12 Mar 2008 / 16:06 H.

    O presidente do Clube de Golfe do Santo da Serra (CGSS) admite vir a organizar o Open da Madeira no Porto Santo já no próximo ano, caso seja essa a vontade dos principais patrocinadores do torneio, o Governo regional e o Instituto do Desporto de Portugal (IDP).
    'Admito perfeitamente, se for essa a vontade do Governo regional e do IDP', referiu António Henriques, lembrando que a capacidade hoteleira do Porto Santo aumentará este ano 'mais 1.500 ou 2.000 camas' e essa poderá ser uma 'possibilidade interessante'.
    António Henriques também não exclui a possibilidade do torneio 'vir a realizar-se no novo campo da Ponta do Pargo', que será o terceiro percurso da ilha e o quarto da região, uma vez que a Madeira dispõe ainda do campo do Palheiro.
    O Clube do Santo da Serra detém os direitos exclusivos do torneio e este ano aposta na organização directa da prova, depois desta ter sido assegurada pela Lagos Sports, entre 1993 e 2004, e pela Amen Corner, de Severiano Ballesteros, entre 2005 e 2007.
    Um passo que permitirá uma poupança directa de 80 mil euros, mas que é olhado como 'um investimento a longo prazo, pois o Santo da Serra ficará dotado das mesmas condições das outras empresas' que garantiram a sua organização no passado.
    No horizonte do CGSS está ainda a possibilidade do torneio vir a merecer honras de transmissão em directo no próximo ano, estando prevista uma reunião com a PGA European Tour na próxima semana, durante a 16ª do torneio, para avaliar essa possibilidade.
    'Vamos reunir na próxima semana com a PGA. O torneio custa anualmente sensivelmente um milhão de euros e penso que valerá a pena fazer um esforço, que representa 20 ou 30% do seu custo, para termos transmissão televisiva', explicou.
    O torneio é visto em 110 milhões de lares em todo o mundo, através do magazine semana da PGA do Circuito Europeu, mas a transmissão em directo colocaria a prova a par das restantes duas do 'tour' que se realizam em solo nacional: o Open de Portugal e o Portugal Masters.
    António Henriques explicou que para se atingir este patamar 'será muito importante' a colaboração do grupo dos patrocinadores, nomeadamente do BPI, que este ano assegura uma 'parceria fundamental' para a realização do torneio, que terá um 'prize-money' de 700.000 euros.Lusa