Luís Filipe reafirma legalidade do comportamento do Benfica

Lisboa /
05 Set 2018 / 21:55 H.

O presidente do Benfica, Luís Filipe Vieira, reafirmou hoje a legalidade do comportamento da Benfica SAD, numa reação à acusação do Ministério Público (MP) contra aquela Sociedade Anónima Desportiva.

“A acusação em nada vem alterar a certeza anteriormente informada da total licitude dos comportamentos e atuação da Benfica SAD, neste ou em qualquer processo. Na dita acusação não existe qualquer facto, mesmo que indiciário, que permita a imputação à Benfica SAD dos crimes aí descritos”, disse Luís Filipe Vieira no estádio da Luz, numa declaração sem direito a perguntas.

É justamente, segundo Luís Filipe Vieira, a inexistência de qualquer facto que permita a imputação à Benfica SAD que “leva a crer que terá sido por esse motivo que a nenhum membro do Conselho de Administração da Benfica SAD foi feita qualquer imputação, nem contra nenhum deles foi deduzida qualquer acusação”.

Na mesma declaração, Vieira refere que a Benfica SAD, tal como sucedeu aquando da constituição de arguida neste processo, “não pode deixar de repudiar e indignar-se quanto ao tempo, modo e forma como se viu envolvida nesta acusação, sem a existência de qualquer fundamento sério que o justifique”.

“A Benfica SAD assegura a todos os benfiquistas que continuará a defender intransigentemente a reputação do Benfica, que prestará toda a colaboração ao sistema judicial e espera, com a maior brevidade, demonstrar a sua inocência neste processo, ou noutros em que tenha sido infundadamente envolvida”, disse Luís Filipe Vieira, que apelou a todos os benfiquistas que “confiem e transmitam essa confiança à licitude dos comportamentos e à seriedade da atuação da Benfica SAD, no passado, no presente e no futuro”.

O presidente dos ‘encarnados’ garante que irá atuar neste processo “com a mesma determinação com que recuperou a credibilidade do Benfica e a sua competitividade desportiva, financeira e patrimonial” e relembrou aos benfiquistas que “todas as decisões administrativas e judiciais de caráter definitivo foram favoráveis e afirmaram expressamente a licitude da Benfica SAD”.

“O debate comunicacional que certamente iremos continuar a assistir, e onde não faltarão os tradicionais julgamentos em praça pública, em nada altera a confiança e a independência dos tribunais e a certeza que as decisões judiciais definitivas limparão o bom nome e a honra do Benfica”, disse Luís Filipe Vieira, a concluir o seu depoimento, sem mencionar em momento algum o nome do assessor jurídico da SAD, Paulo Gonçalves, acusado de vários crimes pelo Ministério Público (MP) no âmbito do mesmo processo.

Na terça-feira, o MP acusou dois funcionários judiciais, a SAD do Benfica e o seu assessor jurídico Paulo Gonçalves de vários crimes, incluindo corrupção, favorecimento pessoal, peculato e falsidade informática, no âmbito do caso “e-toupeira”.

Em causa estão os crimes de corrupção passiva (e pena acessória de proibição do exercício de função), corrupção ativa e oferta ou recebimento indevido de vantagem (e na pena acessória relativa ao regime de responsabilidade penal por comportamentos suscetíveis de afetar a verdade, a lealdade e a correção da competição e do seu resultado na atividade desportiva)”.

Favorecimento pessoal, violação do segredo de justiça, violação de segredo por funcionário, peculato, acesso indevido, violação do dever de sigilo e falsidade informática são os outros crimes imputados aos acusados.

O Conselho de Disciplina (CD) da Federação Portuguesa de Futebol (FPF) anunciou também hoje a instauração de um processo de inquérito, com base no comunicado judicial.

Outras Notícias