Justiça de Jersey com mão pesada para madeirense que conduzia alcoolizado

Jersey /
25 Jun 2019 / 12:01 H.

Um tribunal da ilha de Jersey condenou, na semana passada, um emigrante natural da Madeira a um ano de cadeia, com pena efectiva, e à proibição de condução de veículos durante quatro anos por ter sido apanhado a conduzir alcoolizado por duas vezes no período de seis meses. Um parecer judicial recomenda ainda a sua deportação para Portugal após o cumprimento da pena de prisão, segundo relata o jornal Jersey Evening Post.

Em Dezembro, José Pereira Gouveia, de 27 anos, foi detectado a conduzir com um nível de álcool no sangue superior ao permitido por lei. A 12 de Maio foi novamente apanhado pela polícia a cometer o mesmo crime, com as agravantes de agora ter a carta de condução apreendida e circular sem seguro. Segundo um representante da Polícia de Jersey ouvido em tribunal, nesta segunda detenção, a viatura conduzida pelo emigrante madeirense foi vista a circular de noite com as luzes desligadas e a ‘queimar’ as linhas de delimitação da estrada. Desde então ficou detido e conheceu a sua sentença na semana passada.

O advogado de José Pereira Gouveia disse que “às vezes é preciso ouvir o barulho da porta de prisão para acordar para a realidade” e explicou que o seu cliente não é um mau cidadão, pois “é um pai e marido responsável e um trabalhador irrepreensível”. Revelou ainda que o arguido, para ajudar a família, saiu da Madeira para procurar trabalho em Portugal continental, depois em França e finalmente em, Jersey.

Outras Notícias