Condutor que se despistou no Funchal acusou 2,45 g/l de álcool e foi detido pela terceira vez

Homem acusou uma taxa de alcoolemia quase cinco vezes acima do máximo permitido por lei

10 Set 2019 / 17:18 H.

O condutor que se despistou na Via rápida (VR1) junto ao nó dos Viveiros, pouco depois do meio-dia desta terça-feira, acusou uma taxa de alcoolemia quase cinco vezes acima do máximo permitido por lei.

O acidente de viação ocorreu pelas 12h15 desta terça-feira no sentido Caniço-Câmara de Lobos, junto à saída da VR1 para Monte/São Roque, na zona dos Viveiros, provocando o encerramento provisório da faixa de rodagem e o congestionamento no trânsito ao longo daquela artéria rodoviária do Funchal.

Segundo apurou o DIÁRIO, o condutor do veículo sinistrado foi submetido ao teste de alcoolemia por parte da Polícia de Segurança Pública, acusando uma taxa de 2,45 gramas de álcool por litro de sangue, o equivalente a quase cinco vezes o máximo permitido por lei.

Por esse facto, foi detido e constituído arguido pela prática do crime de condução sob o efeito do álcool, sendo notificado para comparecer ao juiz de instrução na manhã de amanhã, quarta-feira, para conhecer a sanção aplicada, valor da coima e por quanto tempo ficará inibido de conduzir.

Sabe-se que um facto que deverá pesar na decisão judicial prende-se com o facto de o condutor ser reincidente, tendo sido detido noutras três situações por conduzir embriagado.

Recorde-se que o condutor sofreu ferimentos ligeiros tendo sido o único sinistrado resultante deste despiste.