Quercus dá dicas saudáveis em vésperas do Dia Mundial da Alimentação

País /
14 Out 2017 / 16:35 H.

Na próxima segunda-feira, dia 16 de Outubro, assinala-se o Dia Mundial da Alimentação. Num comunicado enviado à imprensa a propósito da ocasião, a Quercus alerta para fragilidades do nosso sistema alimentar. “Excesso de consumo de carne, sobrepesca, uso de pesticidas de síntese, consumo excessivo de água, erosão do solo, cultivo de transgénicos, perda de biodiversidade, incluindo agrobiodiversidade” são alguns dos motivos que preocupam a Quercus.

Para a nossa saúde e do planeta, apresenta as seguintes dicas para uma alimentação mais sustentável:

1 - Coma menos carne

A pecuária é a principal causa de alterações climáticas e consome atualmente cerca de 50% de toda a produção agrícola mundial. Em alternativa coma leguminosas variadas (grão, feijão, lentilhas, chícharo, ervilhas, favas) em abundantes sopas, saladas ou em pratos principais, e ainda outras fontes proteicas vegetais como as algas e frutos secos. Comece por não comer carne nem peixe uma vez por semana e gradualmente aumente o número de refeições sem estes ingredientes.

2 - Introduza o consumo de algas

As algas marinhas possuem todos os aminoácidos essenciais e contêm cerca de 10 vezes mais minerais do que qualquer planta terrestre, para além de outras propriedades nutricionais e funcionais. É um autêntico super-alimento que infelizmente não há tradição de consumo no nosso país, mas podemos mudar essa realidade até porque já se encontram com relativa facilidade algas do atlântico no mercado de produtos biológicos e dietéticas.

3 - Aprenda a reconhecer e a consumir alimentos silvestres

Embora quase extinta, o certo é que a recolecção persiste desde a pré-história. Pelo seu superior valor nutricional, os alimentos silvestres são ainda mais importantes para corrigir carências alimentares da actual dieta ocidental. Por outro lado a sua reintrodução permitirá um melhor ajuste entre o que comemos e o nosso território, o que por sua vez permitirá a recuperação e valorização do nosso bosque e com isso os recursos e serviços ecológicos que permitirão a produção de mais e melhores alimentos no futuro. Se não tem possibilidade para recolher de forma gratuita estes alimentos saiba que há um mercado emergente, com destaque para a bolota. Se quer saber mais, a Quercus tem à disposição dois guias práticos sobre “Ervas Silvestres Comestíveis” e “Frutos Silvestres Comestíveis” e ainda uma série de vídeos “Natureza Comestível”.

4 - Prefira alimentos biológicos de produção local

Consumindo menos carne e peixe terá poupanças na alimentação que lhe permitem gastar um pouco mais em alimentos biológicos, os quais são cada vez mais acessíveis, com preços mais económicos através de mercados de rua de produtores e da entrega de cabazes ao domicílio.

Outras Notícias