O novo paradigma fiscal em Portugal

O ‘Big Brother’ fiscal

20 Abr 2019 / 16:00 H.

Caros empresários, contabilistas, profissionais da área da gestão empresarial, estamos a assistir em Portugal a um novo paradigma de natureza fiscal.

Lembram-se dos famosos Tom e Jerry, que tanto divertiam a malta? Hoje, pelo contrário, o sentimento é de revolta, estamos num autêntico estado evasivo a uma classe que não é respeitada, é escrava, não falo só da minha classe, mas a dos senhores empresários. Cuidem-se.

Que se combata a fraude fiscal, concordo, mas que se respeite a privacidade. Somos um país de micro, pequenas empresas, muitas familiares, já suportamos altas taxas fiscais, regras, controlos, enfim... Será que tudo o que está acontecer neste país também se passa noutros quadrantes, na Europa, no mundo? Penso que não. Veja-se o que vem a caminho. SAFT CONTABILIDADE e outras medidas para breve.

Medidas fiscais atrás de medidas fiscais, país de corruptos, veja-se tudo aquilo que a comunicação social transmite aos portugueses. Tenho vergonha de este país ser gerido por corruptos, o Zé do Povo é que sofre, diria luta para sobreviver.

Será que somos os escravos da AT, aliás, somos da Europa, os profissionais da contabilidade que mais trabalham para o fisco português.

Ora, as novas medidas fiscais vão marcar um novo paradigma muito diferente na nossa sociedade, quer quanto a forma da gestão dos negócios, a informação do negócio que vão disponibilizar aos demais interessados, quer quanto à legalidade de todas as operações que efectuam diariamente, aos procedimentos internos da v. gestão e à forma como entregam os documentos da sociedade ao v. contabilista.

Com a entrada em vigor do SAFT da Contabilidade, a partir de agora mais um instrumento fiscal ao dispor da AT, agrupado com outros instrumentos já em vigor, nomeadamente SAFT das vendas, o envio dos inventários, os salários enviados mensalmente e demais obrigações fiscais vão permitir à AT (fisco) vistoriar, analisar, recolher, fiscalizar todos os movimentos contabilísticos efectuados pelos contabilistas quanto à elaboração e preparação da escrita das sociedades e outras entidades equiparadas a seu cargo. Diria, é um autêntico RAIO X à empresa. A título de exemplo, imagine-se dentro de uma máquina no hospital onde o médico vê o interior do seu corpo, com problemas ou não.

Não vai haver contabilista e advogado que salve quem decidir caminhos mais nublosos. Ora, as contabilidades dos senhores empresários vão ser sujeitas a análises mais profundas, algo nunca visto.

Na experiência profissional de 27 anos como profissional de contas, no decurso dos tempos, tenho vindo a assistir a grandes mudanças fiscais e muitas se avizinham fazem-me pensar que em Portugal começamos a assistir e a conviver num autêntico BIG BROTHER FISCAL.

Quem anda em conformidade pouco tem a temer da presença da AT, agora os senhores empresários, desorganizados, com tendências para procedimentos internos menos correctos, muitas vezes prejudicando a empresa e demais, ou mudam ou vão desaparecer do mercado dando lugar a outros empresários, contudo, a assumir consequências dos seus actos.

Nestes anos todos de contabilista, apesar de muitos esforços e da minha equipa, ainda temos empresários que tratam de forma bem deficiente a documentação da sua empresa. Ora, uns entregam alguns documentos, noutros falta a maioria, outros pedimos segundas vias aos fornecedores, aos bancos os extractos em falta, ou então recebemos os documentos em sacos de supermercado, enfim.

Em pleno seculo XXI é triste assistir a estas situações. Para não falar em documentos dispersos em carros. Felizmente, temos empresários que dão um enorme prazer em trabalhar, em informar e mostram-se receptivos a melhorar e a colaborar, isto chama-se trabalho em equipa.

Meus senhores, estamos a chegar ao fim, a própria AT com as suas medidas fiscais em vigor e as que vêm a caminho está a ditar um novo caminho contabilístico e fiscal.

Aqui fica o estado de espírito dos profissionais de uma profissão muito nobre – O CONTABILISTA.

“Associação de Contabilistas pretende travar Big Brother da contabilidade - 15 Abril 2019 Notícias Fiscais

A nova regra que obrigará as empresas em 2020 a enviar um ficheiro às Finanças com todos os dados da contabilidade está a gerar polémica. Em causa, está a transmissão ao Fisco de dados confidenciais do funcionamento das empresas, pelo que o envio do ficheiro SAFT já é chamado de Big Brother da contabilidade.

ANACO vai entregar petição com mais de 8.000 assinaturas

De forma a travar o novo sistema, a ANACO (Associação Nacional de Contabilistas) vai entregar uma petição no Parlamento, a qual conta já com mais de 8.000 assinaturas. Para além disso, o presidente desta associação, Vítor Vicente, admite recorrer à via judicial.

Novo sistema implica mudanças de procedimentos

A OCC (Ordem dos Contabilistas Certificados) também tem-se manifestado contra o novo sistema, pois o mesmo implica alterações profundas nos procedimentos dos Contabilistas Certificados. Numa acção de formação, que decorreu em Braga no passado dia 10/4, a Bastonária da OCC indicou que, devido à complexidade do novo sistema, o preço das avenças de contabilidade deverá aumentar.”

Luís Freitas - Sociedade de Contabilidade e Gestão, Lda (Grupo Dupliconta)

Sede: Largo da Nossa Senhora da Conceição n.º 8,

9200 – 095 Machico

Tel.: 291 966 311

E-mail: [email protected]

Dupliconta

Sede: Caminho do Pilar, Conjunto Habitacional Pilar I, Bloco A, Lote 1, Fracção F

9000 – 136 Funchal;

Tel.: 291 700 060 a 66 Fax: 291 784 617

E-mail: [email protected]

Outras Notícias