Turismo

Emirates deu mais de 18 mil voltas ao mundo em 2013

Os aviões da Emirates voaram, ao longo de 2013, uma distância correspondente a mais de 18 000 voltas ao mundo, sublinhando a posição da companhia aérea enquanto responsável pela ligação de pessoas e lugares.

Os dados mostram que a frota da Emirates percorreu mais de 751 milhões de quilómetros durante o ano de 2013 o que se traduz em 18 753 voltas ao mundo.

Foram realizados um total de 164 635 voos, transportando mais de 43 mil passageiros, que desfrutaram de refeições requintadas durante os voos bem como do melhor entretenimento a bordo.

O catering da Emirates preparou quase 46 milhões de refeições para voos que partiram do Dubai. O dia 20 de Dezembro de 2013 foi um dia memorável para a equipa de catering tendo sido preparadas de forma impressionante 157 308 refeições, batendo o record anterior de 147 722 a 1 de Março de 2013.

“2013 foi mais um impressionante ano para a Emirates. Continuámos a elevar a fasquia na indústria através de investimentos, inovação e com a expansão global dos nossos serviços, o que oferece uma incomparável relação de qualidade/ preço aos milhões de pessoas que voam connosco,” refere Tim Clark Presidente da Emirates Airline.

Ao longo do ano, a companhia aérea recebeu 24 novos aviões- uma combinação de Airbus A380s, Boeing 777s e cargueiros 777. Nove novas rotas comerciais foram lançadas: Varsóvia, Argélia, Tóquio- Haneda, Estocolmo, Clark, Conacri, Sialkot, Cabul e a rota entre Milão e Nova Iorque. Hanói, Chicago, Cano, na Nigéria, e Quito, no Equador, foram lançados apenas como destinos de carga.

O primeiro marco de 2013 aconteceu em Janeiro com a inauguração do Concourse A, o primeiro hub especialmente construído para o A380. O gigante edifício, com 20 gates para A380, tem mais de 800 metros de comprimento e acolhe o maior lounge de uma companhia aérea no mundo.

Em, Fevereiro, a Emirates passou de grande a rápida, tornando-se parceira global da Formula 1 com um acordo de cinco anos que se iniciou na época de 2013.

Abril registou um marco nos acordos comerciais, com a celebração do code-share com a Qantas. A nova parceria oferece um total de 98 voos semanais combinados entre o Dubai e a Austrália.

Em Maio, o Emirates Group, que inclui a dnata, anunciou o seu 25º ano consecutivo de lucro, apesar da difícil situação que o mundo dos negócios atravessa mundialmente. Para o ano financeiro 2012/2013, o grupo apresentou um lucro líquido de 3.1 mil milhões de DEA, mais 34% em relação ao anterior ano fiscal.

Em Agosto celebrou-se o quinto aniversário das operações do A380 pela Emirates que, por esta altura, tinha transportado mais de 18 milhões de passageiros através de mais 45 000 voos.

“Fomos bastante corajosos ao encomendar este avião na altura em que o fizemos, e na quantidade em que o fizemos, mas esta revelou-se uma aposta positiva. Os nossos passageiros adoram este avião, e é um dos mais eficientes a operar actualmente em termos de consumo de combustível por passageiro”, refere Tim Clark.

Em Outubro, a Emirates alcançou os dois milhões de fãs no Facebook e fez a previsão de que irá transportar um total de 70 milhões de passageiros até 2020, data que adquiriu um novo significado após o Dubai ter sido escolhido para acolher a Expo 2020.

No início de Dezembro, a Emirates iniciou o mais longo voo operado por um A380, com o lançamento da rota de Los Angeles com uma duração de 16 horas e 20 minutos.

O Emirates Skywards atingiu os 10 milhões de associados e ganhou novos parceiros incluindo o American Express, Virgin America e a JetBlue.

Ao longo de 2013, a Emirates ganhou vários prémios - o mais notável foi o de “Best Airline” atribuído pela Skytrax. Aproximadamente 18 000 tripulantes de cabine de 137 nacionalidades ajudaram a entregar o mundialmente conhecido serviço de bordo da Emirates.

O anúncio feito durante o Dubai Airshow em Novembro, relativamente à encomenda da Emirates para mais 200 aviões (150 Boeing 777Xs e 50 A380s), revelou ser o tema que conquistou um maior número de notícias em 2013. Num valor de 99 mil milhões de dólares Americanos, esta foi a maior encomenda alguma vez feita na aviação comercial e, através da mesma, a Emirates fez história, mais uma vez