Viola da terra certificada como produto da marca Artesanato dos Açores

22 Jan 2019 / 04:25 H.

A viola da terra, instrumento de cordas típico açoriano, acaba de estar certificada com a marca Artesanato dos Açores, segundo uma portaria publicada em Jornal Oficial.

A viola da terra possui cinco parcelas de 12 cordas, sendo afinada num tom mais baixo em São Miguel e Santa Maria relativamente às restantes ilhas dos Açores.

O instrumento é também conhecido como viola de arame ou viola de dois corações, sendo semelhante ao violão, mas de dimensões mais pequenas.

No passado, o instrumento fazia parte do dote do noivo e o seu lugar na casa durante o dia era em cima de uma colcha axadrezada, como adorno do quarto do casal, assumindo, desde o povoamento do arquipélago, um lugar de destaque nos festejos, bailes, cantorias e serões.

A certificação da viola da terra pela marca Artesanato dos Açores foi aprovada pela vice-presidência do Governo regional.

A marca, segundo o executivo açoriano, já conta com 21 produtos certificados e mais de 90 unidades produtivas artesanais com o selo de certificação.

De acordo com a portaria hoje publicada em Jornal Oficial, a viola da terra é “reconhecida como produto artesanal na área do trabalho em madeira, mais especificamente, no fabrico de instrumentos musicais de corda.

“A ‘viola de 12 cordas’, ao chegar aos Açores, no século XV, assumiu características comuns em todas as ilhas, mantendo os seus traços primitivos, mas foi adquirindo afinações e particularidades diferenciadas”, explica ainda a nota do Governo açoriano, destacando que este instrumento musical desempenhou “ao longo dos tempos um papel importante nos cantares festivos, balhos, derriços, desgarradas, desafios e despiques e, por isso, adquire grande importância social e cultural na vida dos Açorianos”.

“Com mais esta certificação, agora oficializada, o Governo Regional reforça a medida de criação da marca ‘Açores’, a qual prevê uma abrangência mais global, incluindo, para além do artesanato, produtos ligados à produção agrícola, à indústria transformadora e ao turismo, reconhecendo a qualidade e a excelência dos produtos regionais”, justifica.

A marca coletiva de origem Artesanato dos Açores foi criada em 1998, com o propósito de valorizar os produtos que integra e potenciar a sua divulgação e comercialização, sobretudo no exterior.

“A projeção da marca Artesanato dos Açores assenta também na responsabilização dos artesãos, enquanto principais interessados na distinção do seu produto no mercado, com a obtenção de um selo junto do Centro Regional de Apoio ao Artesanato”, adianta ainda a nota do executivo.

Tópicos

Outras Notícias