Iniciativa camarária ‘O Funchal Que Nos Une’ quer levar Ilhéstico aos palcos nacionais

17 Fev 2020 / 18:08 H.

O Executivo da Câmara Municipal do Funchal visitou hoje as instalações da Porta 33, uma “associação cultural com a qual assinámos um protocolo de colaboração no ano passado, que representou, no global, um investimento de cerca de 40 mil euros em actividades de interesse municipal, que foram concretizadas ao longo de 2019”, começou por referir o Presidente Miguel Silva Gouveia, tendo sido recebido por Cecília Vieira de Freitas e Maurício Pestana Reis, em mais uma iniciativa no âmbito das Presidências Abertas do Município –’O Funchal Que Nos Une’, que decorrem este mês na freguesia de São Pedro.

“A Porta 33 conta com mais de 30 anos de actividade, sendo uma das associações culturais mais antigas da cidade do Funchal. É precisamente nessa óptica de salvaguardar este trabalho singular que as nossas Presidências Abertas visitaram hoje a galeria, onde ainda estão presentes algumas das obras daquele que foi o ponto alto da nossa parceria no ano passado, e um marco em termos de arte urbana para a cidade, que foi a exposição Ilhéstico”, destacou Miguel Silva Gouveia.

O Ilhéstico foi um roteiro de arte contemporânea desenvolvido para a cidade de raiz, que reuniu um total de 45 participantes, na sua maioria artistas madeirenses, autores de diversas linguagens e com percursos e experiências de vida distintos. O evento foi inédito na Região e lembrou a passagem de várias gerações de artistas pela Porta 33, muitos dos quais vivem e trabalham agora fora da Região, quer no Continente, quer no estrangeiro.

Miguel Silva Gouveia sublinhou “uma aposta com reflexos até a nível nacional, com a grande satisfação de apoiar os artistas madeirenses, dando-lhes oportunidade de desenvolverem ao mais alto nível as suas diferentes manifestações artísticas, desde a moda, ao vídeo, à fotografia e à pintura”, tendo anunciado que, este ano, “queremos ajudar a levar o Ilhéstico para fora da ilha, para dar um palco nacional à arte madeirense e àquilo que de bom tem sido desenvolvido no Funchal e na Madeira.”

A Porta33 – Associação Quebra Costas – Centro de Arte Contemporânea foi fundada em 1989. Esta associação cultural privada, sem fins lucrativos, está sediada no centro do Funchal e é um projeto de produção e divulgação de arte contemporânea. Entre as várias actividades dinamizadas, organiza colóquios sobre o trabalho dos artistas residentes e promove visitas guiadas às exposições em colaboração com a comunidade escolar, mantendo um centro de documentação de cultura contemporânea.