Galeria Marca de Água reúne 120 obras do fotojornalista Fernando Ricardo

A exposição ‘Momentos’ será inaugurada a 16 de Janeiro de 2020

10 Dez 2019 / 12:19 H.

A Galeria Marca de Água, no Funchal, inaugura em Janeiro do próximo ano, uma exposição individual de produção nacional, do artista e fotojornalista Fernando Ricardo. O trabalho denominado ‘Momentos’ reúne cento e vinte obras fotográficas de Fernando Ricardo, desde 1972 até à actualidade e será inaugurado a 16 de Janeiro, às 18h30, na Rua da Carreira, n.º 119.

O catálogo da exposição integra um texto da autoria do conceituado fotógrafo e restaurador de arte espanhol, António Sánchez-Barriga. Referindo-se à obra de Fernando Ricardo, o espanhol destaca a forma como “consegue eliminar a diferença entre a obra falada/escrita e a imagem fotográfica, ambas reunidas numa só fotografia”, frisando ainda que qualquer uma das suas fotografias “informa e esclarece, com uma única imagem, o olhar para o meio ambiente, não necessitando de palavras”, graças aos “anos de profissão e de luta repartidos por guerras, revoluções, desgraças, e por aquilo que esteve sempre no foco das notícias”.

Fernando Ricardo nasceu em Lisboa, em 1951. É fotojornalista desde 1970. Foi chefe da Agência The Associated Press e repórter fotográfico da Agência Gamma e France Press, além de director de fotografia do grupo Impresa.

Bolseiro do Conselho da Europa em fotojornalismo, realizou várias reportagens internacionais para a The Associated Press em cenários de guerra africanos e no médio oriente. Para a Associated Press, realizou a cobertura fotográfica de 24 viagens do Papa João Paulo II. Tem reportagens fotográficas sobre os Jogos Olímpicos, Campeonatos do Mundo de Futebol e Grandes Prémios de Fórmula 1 para além de um sem número de fotografias publicadas na imprensa mundial, nomeadamente: International Herald Tribune, New York Times, Washington Post, Boston Globe, Time, News Week, Stern, Der Spigel, Paris Match, l’Expresse, Figaro, Times of London, Sunday Times,Guardia, El País, entre outros.

Conta com várias exposições individuais, nomeadamente no MARGS Museu de Arte do Rio Grande do Sul, no Brasil e no Palácio da Galeria - Museu Municipal de Tavira. Está representado em várias colecções públicas, entre as quais a da Assembleia da República, em Lisboa.