O país das festas e da miséria dourada

Segundo se ouve e vai lendo, atingirá valores que rondará os 80 ou 90 milhões de euros ou mais a festa da Concentração de Jovens católicos que se prepara para o ano 2023 em Lisboa, valores quase ou mesmo pornográficos, diga-se alto e em bom som, a serem pagos pela Câmara Municipal de Lisboa, Governo Português e pressuponho que outras entidades do país.

Podem os corações dos católicos começar a rejubilar de alegria pela festa anunciada e em preparação, mas, um pingo de vergonha poderia surgir também em quem se esquece que tantos milhões gastos numa inutilidade daquelas faria mais sentido serem aplicados em outras áreas deste miserável país onde tudo falta desde habitação, investimento na cultura, na assistência médica vulgo Saúde, escolas sem condições, sem se esquecer de tantos e tantos seres sem abrigo que altas individualidades deste país tanto acarinham, em suma, um desperdício cabal.

Podem argumentar os alucinados pelo empreendimento que Portugal com tanta gente no evento ficará a ganhar, talvez com a venda de algumas garrafas de água consumidas na ocasião e pouco mais, já que em alojamentos sabe-se que conventos e outros locais como campos de campismo etc, se abrirão para receber tantos jovens que não pretendem gastar muito e vêm com a intenção de ver Francisco o seu Papa, que também não sei se quando lhe disserem que Portugal país pobre e ainda atrasado pretende gastar 80 a 90 milhões ou mais no encontro em que ele será Rei, se não lhe subirá alguma coloração ao rosto e se escusará a participar naquele folguedo a ter lugar neste país de miséria dourada.

Jorge Gomes