Madeira

Superfície Agrícola Utilizada na Madeira e Porto Santo diminuiu 15%

Foto Shutterstock
Foto Shutterstock

Dez anos volvidos sobre o anterior Recenseamento, são várias as conclusões que  podem ser retiradas da operação censitária realizada junto das explorações agrícolas da Região Autónoma da Madeira (RAM), entre outubro de 2019 e novembro de 2020. Uma delas é que se confirma o abandono de uma parte significativa da Superfície Agrícola Utilizada. Os dados são divulgados hoje pela Direcção Regional de Estatística da Madeira (DREM) após ano e meio de recolha de dados, enquanto se enfrentava uma pandemia.

O número de explorações manteve-se relativamente estável face ao Recenseamento anterior, mas a área de Superfície Agrícola Utilizada (SAU) registou uma diminuição, tal como os efetivos animais e a população agrícola familiar. Nas culturas, o realce vai para o crescimento da área de frutos subtropicais, que surge em contraponto com a quebra significativa na área de batata (semilha).

Os dados do Recenseamento Agrícola 2019 confirmam a exígua dimensão das explorações agrícolas madeirenses, com mais de metade (51,5%) das explorações recenseadas a disporem de menos de 0,2 hectares (ha) de área agrícola utilizada. A percentagem de explorações com menos de 0,5 ha (82,5%) cresceu face ao recenseamento anterior, um valor efetivamente superior ao de dez anos antes (77,1%). Acima dos 5 ha de SAU foram contabilizadas, 38 explorações, mais 3 que no Recenseamento Agrícola 2009.