De olho no ‘Dubai na Madeira’

O Diário fez manchete recentemente com um investimento privado de uma sociedade constituída essencialmente pela AFA e pela Socicorreia, na Monumental, com o título sugestivo e, simultaneamente, preocupante ‘Dubai na Madeira’.

Como morador na zona e munícipe atento, gostaria de chamar a atenção para a importância de todos os madeirenses, em especial os funchalenses, estarem atentos às dimensões do empreendimento imobiliário que será construído junto ao Forum Madeira, por forma a evitar que se repita o que se verificou na obra do Hotel Savoy, também na Estrada Monumental, em que o executivo liderado pelo sr. Paulo Cafôfo se limitou a “sacudir a água do capote”, apontando responsabilidades para a gestão camarária precedente.

Desde já, há sinais preocupantes relativamente ao arranque desta obra. Um desses indícios é a calendarização do período de participação de interessados – de 27/7 a 17/8 –, no âmbito do procedimento de elaboração da Unidade de Execução EU-07 do Plano de Urbanização do Amparo, determinada pela CMF, que coincide com o período de férias da população e com o fim do período de vigência do referido plano. Acresce a estas coincidências o facto de a CMF se ter recusado disponibilizar informação a munícipes interessados na consulta de documentos que integram o processo, por alegadamente a mesma se encontrar na posse do arquiteto respetivo, que se encontra de férias...

Não sou contra o investimento privado, em geral, desde que este respeite o quadro legal vigente. Que fique bem claro! O que me deixa desconfiado é o poder que estes grupos económicos possuem – são os donos disto tudo –, que não se importam com a desvalorização dos prédios vizinhos nem com a betonização da paisagem, mas apenas com o seu lucro selvagem. Por isso, vou estar de olho neste empreendimento e espero que os meus concidadãos façam o mesmo. Veremos também como vai agir o executivo municipal, se vai defender os interesses dos eleitores anónimos ou se vai, uma vez mais, ceder à pressão da contabilidade imediata do n.º de empregos a criar e o do montante do investimento, esquecendo-se que, ao contrário do Dubai, o petróleo da Madeira é o verde da sua paisagem!