Ligações Aéreas

No dia 24 de Março de 2018, decorreu no Fórum Machico uma sessão pública de análise e debate da problemática das ligações aéreas da Madeira, sob a designação de “Importância do Aeroporto do Porto Santo para as ligações aéreas da Madeira”.

Ninguém de entre os abalizados palestrantes e público presente considerou a hipótese de ligações por hidroavião; o que talvez não seja uma solução obsoleta para o problema da Ilha da Madeira. Em vez disto, pretendem retornar ao transporte marítimo entre as duas ilhas do arquipélago, quando as condições meteorológicas não permitam a utilização do aeroporto de Santa Catarina. Situação esta que vem ocorrendo com maior frequência desde há cerca de um ano.

Lembro que, entre cerca de 1948 e 1958, a Aquila Airways manteve uma carreira de hidroaviões entre Southampton (sul de Inglaterra), Lisboa, Funchal e Las Palmas de Grã-Canária. Com Machico como alternativa ao Funchal.

Hoje há melhores condições operacionais nos portos do Funchal e Machico, assim como no estuário do Tejo. E há também hidroaviões com maior capacidade, conforto e tecnologia mais avançada do que naquela altura.

Porque não duas ligações aéreas, em paralelo, entre a Madeira e Lisboa? Uma (a actual) através de aviões; e outra por hidroaviões. Esta, raríssimas vezes seria inviabilizada pelas condições meteorológicas. Com pequenas obras e ou equipamentos, os portos do Funchal e Machico ficariam totalmente apetrechados para o efeito.

Que outra solução?