Turismo

Turismo Náutico interessa à Madeira

Convidado a abordar o tema “Que Turismo Náutico para a Madeira?”, Bruno Freitas foi claro na resposta:"Todo o turismo náutico interessa, porque é, sem dúvida, um dos nichos de mercado a serem potenciados. Os recursos marítimos estão disponíveis, há infraestruturas que podem ser, com as devidas adaptações, mais utilizadas. Podemos aproveitar mais os nossos recursos materiais, por assim dizer, ao nível da disponibilidade da oferta junto ao mar. Estamos conscientes que houve, por força das recentes intempéries, alguns danos, mas os danos reparam-se e, pensando em médio e longo prazo, pretende-se aproveitar tudo o que está feito parapotenciar as atividades náuticas".

Quanto à grande oferta na náutica de recreio, referiu que a Madeira é uma referência em termos mundiais ao nível do turismo de cruzeiros, às quais acresce as atividades que podem ser exercidas no meio marinho, nomeadamente as subaquáticas, com os percursos que já se vão realizando, como também o surf e o windsurf, onde temos algumas tradições, assim como a observação dos cetáceos, que alargam e enriquecem uma oferta diversificada.

O director elogiou ainda a acção do Naval. "Tem sido um bom parceiro. Tudo isto funciona graças a parcerias com os clubes e associações, mas o Naval tem sido exímio, fomentando um conjunto de atividades que, de certa forma, colocam a Madeira no contexto marítimo, desportivo e turístico internacional e, dessa forma, desempenha um papel dinamizador de toda esta atividade associada ao mar, assumindo um papel socialmente importante", referiu Bruno Freitas.