Tribunal aplica prisão preventiva para 39 arguidos do grupo de motociclistas Hells Angels

18 Jul 2018 / 16:53 H.

O Tribunal de Instrução Criminal (TIC) de Lisboa determinou hoje prisão preventiva para 39 dos 58 arguidos como medidas de coacção no âmbito do processo do grupo de motociclistas Hells Angels e apresentações periódicas às autoridades para os restantes.

Segundo um advogado de defesa, os arguidos que ficam em liberdade estão proibidos de participar na concentração do Moto Clube de Faro, que decorre entre quinta-feira e domingo.

Dos arguidos que ficam em prisão preventiva, quatro podem passar a prisão domiciliária com pulseira electrónica, dependendo de um aval dos serviços prisionais.

Um 59.º arguido encontra-se detido na Alemanha.

Nas suas alegações, o Ministério Público tinha pedido a aplicação de prisão preventiva para 54 arguidos e apresentações diárias às autoridades para os restantes.

O processo envolve acusações de associação criminosa, tentativa de homicídio, roubo, ofensa à integridade física e tráfico de droga.

A investigação do caso dos Hells Angels foi elaborada pelo Departamento Central de Investigação e Acção Penal e pela Unidade Nacional Contraterrorismo da Polícia Judiciária e os mandados de busca e de detenção foram executados há uma semana.

Depois de os 58 arguidos terem sido identificados na noite de quinta-feira e durante a madrugada de sexta-feira, os interrogatórios demoraram três dias, tendo terminado no domingo no TIC.

A proposta de medidas de coacção do Ministério Público e as alegações da defesa decorreram na segunda-feira e na terça-feira.

Outras Notícias
  • 1
    $tempAlt.replaceAll('"','').trim()