Recompra de dívida do Novo Banco já conta com reembolso de 4,6 mil ME

Lisboa /
29 Set 2017 / 15:17 H.

A operação de recompra de dívida do Novo Banco, em curso até 02 de Outubro, já assegurou o reembolso antecipado de 4.604 milhões de euros, 73,4% do objectivo definido para o seu sucesso, segundo a entidade.

Isto, na sequência das assembleias-gerais das 12 séries de obrigações que se realizaram hoje, em Londres, depois de não terem tido obtido suficiente quórum constitutivo na primeira convocatória realizada em 08 de Setembro.

As assembleias-gerais de hoje reuniram com um quórum mínimo de um terço das obrigações existentes para votar o reembolso antecipado nos termos propostos pelo Novo Banco, informou em comunicado a instituição liderada por António Ramalho.

Em sete das 12 assembleias-gerais, os obrigacionistas aprovaram a proposta por uma maioria mínima de 75%.

“Conclui-se assim, com a aprovação em 16 séries, o processo de votação para o reembolso antecipado das obrigações, totalizando o reembolso de 4.075 milhões de euros a valor nominal”, sublinhou o Novo Banco.

E acrescentou: “Permanecem em aberto as restantes 20 séries, nas quais os obrigacionistas podem decidir até 02 de Outubro a aceitação dos termos da oferta”.

Em 25 de Julho, o Novo Banco lançou uma oferta de recompra de dívida própria, com que prevê conseguir poupanças de 500 milhões de euros, uma operação essencial para que seja concretizada a venda do banco ao fundo norte-americano Lone Star.

O Novo Banco indicou as 36 séries de emissões de dívida sénior abrangidas pela oferta (com maturidades entre 2019 e 2052) em que é proposto aos detentores dos títulos a sua recompra, pagando já dinheiro por esses títulos para evitar que cheguem à maturidade, com o respectivo pagamento de juros e capital.

Para que a oferta seja considerada de sucesso, o Novo Banco diz que tem de conseguir poupanças em juros e capital que permitam “o reforço dos capitais próprios no Novo Banco em, pelo menos, 500 milhões de euros”.

A oferta abrange títulos de dívida com um valor nominal global de 8,3 mil milhões de euros, “correspondente a cerca de três mil milhões de euros de passivo contabilístico”, segundo o banco.

Os títulos em causa foram emitidos pelo Novo Banco (através das sucursais de Londres e do Luxemburgo) e pelo NB Finance (originalmente emitidos pelo BES Finance).

A oferta arrancou em 25 de Julho, pelas 08 horas (hora de Lisboa), e decorre até 02 de «Outubro, estando a liquidação prevista para 04 de Outubro.

Outras Notícias